Abuso de autoridade, pedidos incomuns, assuntos que não dizem respeito às funções, rebaixamentos de cargo e humilhações constantes podem ser considerados assédio moral no trabalho. Essas situações são parte da realidade de aproximadamente 42% dos brasileiros, segundo a Organização Internacional do Trabalho.

Evitar que o assédio moral no trabalho aconteça é difícil, principalmente se o profissional não reage de forma firme e confiante frente às situações de abuso. Para se defender dos assediadores, é necessário conhecer seus direitos e não parecer uma vítima indefesa. Saiba como reconhecer uma situação de assédio e previna-se dos predadores corporativos.

Assédio moral no trabalho prejudica a saúde

Quem sofre assédio moral no trabalho não passa por dificuldades apenas no ambiente da profissão. Fora do escritório, são comuns sintomas como impotência, estresse, baixa produtividade, isolamento e depressão. O abuso, seja por parte da chefia ou das atribuições do cargo, pode levar à redução da imunidade orgânica e dificuldade para se relacionar.

Assédio moral no trabalho
Muitos profissionais se sentem constrangidos no trabalho e não sabem como reagir. Foto: iStock, Getty Images

De acordo com uma pesquisa feita pela empresa de consultoria 4Hunter, os profissionais brasileiros sofrem principalmente com o salário abaixo do esperado, o clima da empresa e a falta de reconhecimento. Mais de 500 pessoas foram entrevistadas, sendo que 55% delas se mostraram insatisfeitas com seu emprego atual.

O estresse no ambiente do trabalho dificulta também a interação com os colegas, tornando as funções tortuosas e nada divertidas. Profissionais que riem enquanto trabalham, por exemplo, conseguem obter maior bem-estar e produtividade. No entanto, esse estudo da Universidade Bocconi, da Itália, não se realiza em condições de assédio. Descubra como se defender.

Como combater o assédio moral no trabalho

Bons profissionais dificilmente terão problemas para trabalhar a menos que passem por algum tipo de assédio. Para garantir seu sustento e evitar confusões, geralmente eles escondem o assunto e se fecham, não abrindo a verdade para colegas e familiares. Porém, apenas expondo o assédio moral no trabalho é possível combatê-lo.

Compartilhe a situação com alguém confiável

Seja um membro da família ou seu advogado, o importante é conversar com alguém. Quando em uma situação de assédio, é fundamental discutir o caso com uma pessoa de confiança, para descobrir se realmente há um problema, perseguição ou se é apenas uma impressão pessoal. Quando detectado o assédio, é hora de apelar aos recursos humanos ou à justiça.

Procure o assediador

Às vezes, a pessoa que comete o assédio não sabe do prejuízo que está causando ao outro. Por isso, é importante demonstrar a ela que está cometendo assédio moral no trabalho. Algumas ofensas podem ser bastante pessoais e, portanto, comentar isso com o chefe ou colega é uma forma de lidar com a situação e evitar danos à imagem da empresa.

Crie um dossiê do assédio

E-mails, memorandos, mensagens de texto, conversas com testemunhas, exigências indevidas e registradas: tudo pode ser levantado como prova do assédio. Qualquer comprovação de críticas fortes, acusações sem fundamento, avaliações equivocadas e humilhações podem servir para levar a um processo por assédio na Justiça Federal.

Da mesma forma, laudos médicos comprovando estresse e depressão são aceitos. Documentos válidos e provas concretas costumam ser bem recebidos pelos juízes, que são favoráveis em casos no qual o assédio é comprovado. Além disso, é possível ser ressarcido por danos morais.

E você, já sofreu assédio no ambiente de trabalho? Deixe um comentário! E não esqueça de compartilhar suas experiências e tirar dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!