Para garantir uma gravidez saudável, a futura mãe deve ter cuidados especiais com a sua alimentação. Uma dieta rica é determinante para o desenvolvimento do bebê. E entre os nutrientes que não podem faltar no cardápio, durante os nove meses de gestação, está a vitamina B12.

Chinese pregnant lady drinking milk in the kitchen
Entenda a importância da ingestão de vitamina B12 na gravidez. (Foto: Istock)

Importância da vitamina B12 na gravidez

A vitamina B12 é um nutriente encontrado, principalmente, em produtos de origem animal, como carnes, ovos, leite e seus derivados. Ela é responsável por auxiliar na função neurológica, na formação dos glóbulos vermelhos e na síntese do DNA.

Um estudo recente da Universidade de Warwick, do Reino Unido, exibida na Conferência Anual de Endocrinologia, ressaltou sua importância para grávidas. Os pesquisadores detectaram que a baixa ingestão do nutriente na gestação pode resultar em problemas para o bebê, como diabetes tipo 2 e outras doenças metabólicas.

A pesquisa revelou ainda que a carência de B12 está ligada a alterações dos níveis de leptina. Esse hormônio é responsável por “avisar” quando estamos saciados. No bebê, isso pode resultar no crescimento da resistência à insulina e, com isso, aumentar o risco do pequeno desenvolver diabetes tipo 2 no futuro.

Para chegar a essa constatação, foram analisadas 91 amostras de sangue de mães e filhos e, com isso, foi verificada a quantidade de vitamina B12. Também foram analisadas 42 amostras de tecido adiposo e 83 do tecido placentário.

Segundo Ponusammy Saravanan, principal autor da pesquisa da Universidade do Reino Unido, a situação nutricional na mãe é determinante para a saúde do bebê. “Nós sabemos que as crianças que nasceram de mães subnutridas têm maior risco de desenvolver problemas de saúde. Também vemos que a deficiência materna de vitamina B12 pode afetar o metabolismo das gorduras e contribuir para esse risco”, explicou.

Trabalhos anteriores já haviam mostrado que a falta da vitamina B12 pode elevar o IMC (Índice de Massa Corporal) das grávidas. Isso pode aumentar as chances dos bebês nascerem com baixo peso e colesterol alto.

Os especialistas precisam ainda discutir novamente as dosagens recomendadas para a mãe. Atualmente, o indicado é 2,6 microgramas durante a gestação e 2,8 microgramas para mulheres que estão amamentando.

Cinco alimentos que não podem faltar na dieta da grávida

Para ajudar a compor uma dieta completa, confira cinco alimentos que devem fazer parte da rotina das grávidas:

Leite e derivados

Além de serem ricos em B12, o leite e seus derivados são fontes de cálcio, nutriente que ajuda na formação de ossos e dentes do bebê. Outros alimentos ricos em cálcio são: couve, agrião, mostarda, brócolis, feijão e produtos à base de soja.

Couve, espinafre ou brócolis

Esses alimentos são fonte de ácido fólico. A deficiência deste nutriente durante a gravidez pode resultar em problemas de formação neurológica, como espinha bífida (desenvolvimento anormal da medula espinhal) e anencefalia (ausência de cérebro). Frutas como laranja, morango e banana também possuem ácido fólico.

Carnes ou ovos

Carnes e ovos são fontes ricas em B12 e em proteínas determinantes para a produção das células e dos tecidos novos da mãe e do bebê. Feijão, ervilhas, grão-de-bico, nozes, leite e derivados também são boas opções.

Feijão, castanhas ou carne vermelha

Estes alimentos são ricos em ferro e evitam a anemia durante a gravidez e complicações no parto. Ingira ainda lentilha e vegetais de folhas verde-escuras, como espinafre e couve.

Carboidratos

Os carboidratos são responsáveis por oferecer as calorias adicionais de que a grávida necessita. Pães, cereais, arroz, massas, batata e frutas são boas fontes de carboidratos.

Com uma alimentação rica e balanceada, você garante a quantidade necessária de vitamina B12 e outros nutrientes, durante a gravidez. E para saber mais sobre gravidez e filhos, não deixe de acompanhar o nosso site!