[the_ad_group id="16401"]
Filhos

Reclamar dos filhos: veja os limites

Por Redação Doutíssima 26/04/2013

Uma prática comum de vários pais é reclamar dos filhos. Muitas vezes, as crianças cometem erros, comportam-se mal ou, simplesmente, deixam de atender aos pedidos dos pais. Será que a reclamação é a maneira certa de lidar com essas situações?

E será que existe um limite para isso? Especialistas acreditam que sim, e além disso, afirmam que reclamar dos filhos demonstrando raiva ou frustração é capaz de ter grandes efeitos sobre a personalidade e o comportamento futuro do seu filho.

reclamar

É importante agir e falar com racionalidade quando o seu filho se comporta mal. Foto: iStock, Getty Images

Reclamar dos filhos com raiva não é disciplina

A guru britânica em comportamento infantil Jo Frost, mais conhecida pelo seu programa de TV Supernanny, revela que sempre existe uma razão para o mau comportamento de uma criança.

É possível que seja um problema na escola, como o bullying, ou então a infelicidade no nascimento de um novo irmão. Existe, todavia, uma outra razão que não está relacionada com a criança: é a raiva e a frustração dos pais existentes ao reclamar dos filhos.

Frost diz que a raiva pode interferir na maneira de como você é um pai ou uma mãe e, principalmente, no modo como fala com seus filhos e os disciplina. Acima de tudo, eles veem a sua raiva e acham que é normal reagir assim durante uma frustração.

Eles enxergam a mãe ou o pai explodir  por qualquer coisa, e acham que é uma situação aceitável. É natural ficar frustrado, mas a chave é não deixar de responder a seu filho de uma forma positiva e construtiva quando ele se comporta mal. Como você faz isso?

Qual é a solução para parar de reclamar dos filhos?

A especialista britânica indica que há alguns pontos que você deve levar em conta  ao reclamar dos seus filhos com frequência – o que, muitas vezes, é feito demostrando irritação. Veja algumas soluções para isso:

1. Use disciplina positiva

Deixe o seu filho saber que você não aprova o que ele está fazendo, mas comunique seus sentimentos sem se concentrar nele. Concentre-se no próprio comportamento.

2. Entenda o motivo de ele agir de certa maneira

Seu filho não age de forma deliberada para tornar a vida difícil para você. Ele pode estar em uma idade que não consegue controlar seus impulsos ou concentrar sua mente em uma longa lista de tarefas.

É possível que ele seja muito jovem para expressar sua própria frustração verbalmente e, então, bate nos colegas da escola. Se você reagir a isso com agressão verbal, porém, vai ensinar-lhe que esse é o comportamento correto.

3. Não castigue seu filho com raiva

Tente esperar o pensamento racional, e discipline o seu filho quando você está no controle. Assim, não estará reagindo por emoção e sem pensar logicamente. Caso contrário, você não vai estar usando a disciplina para orientar o seu filho para um bom comportamento, mas apenas aliviando a sua frustração.

4. Seja consistente

A disciplina deve ser algo conjunto. Por isso, se você não aceita algum tipo de atitude, mas o seu cônjuge aceita sem problemas, não basta reclamar dos filhos. É preciso criar uma consciência entre os pais.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]