[the_ad_group id="16401"]
Estética

Saiba como colocar fim nas estrias

Por Redação Doutíssima 29/04/2013

Você se incomoda com as estrias e quer se livrar delas? Saiba que não é a única. Esse problema presente na pele incomoda cerca de 62,5% dos indivíduos do sexo feminino no Brasil segundo dados da a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). Além disso, 62,4% possuem pavor de conviver com a situação.

 

O que são as estrias?

Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica, estrias são rupturas de fibras elásticas e colágenas que sustentam a pele. Essas lesões podem se manifestar tanto em homens quanto em mulheres.

estrias

Abdômen, quadris e culotes são locais comuns do corpo em que a estria pode aparecer. Foto: Shutterstock

O problema é mais comum na adolescência, gravidez e em pessoas com excesso de peso. Além disso, ocorre com mais frequência na região das mamas, nádegas, abdômen, quadris e culotes.

Antes de optar entre os diversos tipos de tratamentos disponíveis no mercado da estética, é preciso saber qual tipo de lesão você apresenta. A estria que apresenta aspecto avermelhado é a fase inicial do problema e, dessa maneira, responde melhor aos tratamentos. Já as lesões de coloração branca, são mais antigas e mais difíceis de serem tratadas.

Opções de tratamentos para estrias

Além da coloração da estria, a largura da lesão também influência na eficácia do tratamento estético. Veja abaixo a lista de tratamentos que apresentam os melhores resultados.

1. Laser CO2 fracionado

É indicado para os dois tipos de estrias, recentes e antigas. O laser, em lesões recentes, estimula o fechamento dos vasos sanguíneos e produção de colágeno na área. Esse processo realiza uma renovação da pele onde se encontra a estria e isso melhora o aspecto da área.

A ação desse tratamento é suave, necessitando de três a seis sessões para alcançar a suavização da lesão. Os resultados são perceptíveis a partir da segunda sessão.

Esse procedimento não deve ser realizado durante a gestação e é necessário ficar atenta ao tom de pele, pois pode ocorrer hiperpigmentação após a aplicação.

2. Radiofrequência ou infravermelho

Esse tratamento não causa nenhum tipo de agressão à pele. Essa técnica aquece o local da estria e, assim, estimula a produção de colágeno na região. É indicado para estrias localizadas no abdômen causadas pela gestação.

3. Subcisão

Nesse tratamento, agulhas são introduzidas na pele. São executados movimentos pendulares e de vaivém. Ocorre o aparecimento de hematomas e é no processo de cicatrização que a produção de colágeno é estimulada.

 

4. Soluções de uso tópico

É um dos tratamentos mais utilizados para combater a estria. Nesse procedimento estético, é usado o ácido retinoico, um derivado da vitamina A. Esse ácido tem propriedades que estimulam a produção de colágeno, a queratinização e irrigação dos vasos sanguíneos na região.

É indicado que a aplicação tópica aconteça três vezes por semana e que seja alternada com hidratantes. Esse tratamento melhora o aspecto das lesões e, em alguns casos, deixa-as quase imperceptíveis.

5. Carboxiterapia

São feitas aplicações de anidro carbônico medicinal estéril e devem ser realizadas diretamente nas lesões. Esse procedimento reorganiza as fibras e estimula a produção de colágeno.

Juntamente com esse tratamento, o peeling, hidratantes e ácido retinoico devem ser utilizados. Não é indicado para gestantes. São realizadas de oito a 10 sessões em estrias recentes e nas antigas, é recomendado de 10 a 15 sessões.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]