[the_ad_group id="16403"]
Filhos

Saiba quais são as principais doenças de pele em bebês

Por Redação Doutíssima 27/06/2013

Os bebês são fofinhos e quando dão uma gargalhada, impossíveis de resistir. Mas, você já parou para pensar que as doenças de pele em bebês podem tirar o sorriso do seu filho? Sensível, a pele dos pequenos também é acometida por alterações que provocam desde coceira até feridas, que demandam um tratamento longo e nada agradável.

 

Derme sensível provoca doenças de pele em bebês

De acordo com um estudo da Sociedade Espanhola de Pediatria, 22% dos bebês apresentam uma pele extremamente sensível e 8% deles, muito seca. Hidratar a pele com produtos específicos pode evitar a dermatite atópica, causada, principalmente pelo ressecamento da derme.

doencas de pele em bebes

Bicho geográfico e brotoeja são doenças que podem atacar a pele do seu bebê. Foto: iStock, Getty Images

Ficar atenta à pele da criança é importante, porque algumas características são normais e não se caracterizam em doenças de pele em bebês. Um exemplo são bolinhas bem pequenas que costumam aparecer logo nos primeiros dias de vida. Essas nada mais são do que quistos de Milia, acúmulo de gordurinha que desaparecem espontaneamente.

Na dúvida, sempre que não souber se o que seu filho apresenta é comum da infância ou características de algumas doenças de pele em bebês, procure um dermatologista.

Principais doenças de pele em bebês

 

Conhecer as principais doenças de pele em bebês pode evitar que as alterações que começaram na pele se alastrem pelo corpo. Ou, dependendo da característica, seja algo que facilmente atinja outros órgãos, causando sérias complicações à saúde.

1. Impetigo

Essa doença se caracteriza pelo aparecimento de feridinhas que não cicatrizam ou pequenas bolhas de pus. O tratamento deve ser rápido e feito por um profissional de saúde, porque, se não for vista com atenção, pode atingir os rins.

2. Molusco contagioso

O nome pode parecer engraçado, mas essa é uma das doenças de pele em bebês mais comuns e sérias. Costuma aparecer em crianças que frequentam muito a piscina. Na pele, surgem carocinhos e, se você não procurar o pediatra, ela toma conta do corpo e dificulta ainda mais o tratamento.

3. Brotoeja

Quando eles são recém-nascidos, é comum que as mamães, com medo de um resfriado, empilhem roupas nos filhos. Pois saiba que crianças com muito calor podem desenvolver bolhas avermelhadas, a chamada brotoeja. Não oferece perigo ao bebê, embora cause desconforto por coçar bastante.

A boa notícia é que, evitando que ele sinta calor, os sintomas desaparecem. Para ajudar o seu pequeno enquanto ele estiver coçando, coloque maisena. Esqueça os talcos e cremes. Se não passar em três dias ou, se vier acompanhada de febre alta, procure um médico.

4. “Bicho geográfico” ou larva migrans

Brincar ao ar livre é tudo de bom, mas é preciso estar atenta aos perigos que as areias e gramados podem esconder, principalmente se são locais nos quais passam animais como gato e cachorro.

O espaço pode estar contaminado pelo “bicho geográfico” que, quando ataca o ser humano, causa lesões inflamatórias por onde passa.

Se o caso for leve, é provável que apenas pomadas recomendadas pelo dermatologista resolvam. Já nos casos em que as lesões são mais intensas, medicamentos via oral também farão parte do tratamento.

A melhor forma de evitar é não deixar seu filho descalço em locais nos quais transitam animais e, em casa, cuidar da saúde dos bichinhos para que esses não contaminem seu filho.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


[the_ad_group id="16349"]
[the_ad_group id="16404"]