[the_ad_group id="16401"]
Filhos

Mitos e verdades sobre furar as orelhas do bebê

Por Redação Doutíssima 04/07/2013

furar as orelhas

Você é mãe de um bebê do sexo feminino e tem suas dúvidas sobre furar as orelhas do seu bebê ou não? Descubra alguns mitos e verdades a respeito desse assunto.

 

Filhos: tire dúvidas e participe de discussões com outros pais em nosso fórum! 

 

Mito: Quanto mais novinho, menos dor ele sentirá no momento de furar as orelhas.

Isso não existe. Independente da idade, um furo na orelha vai sempre doer na mesma intensidade. A diferença está nas reações; enquanto um bebê novinho é mais fácil de ser acalmado, uma criança mais velha já possui mais formas de expressar a dor.

 

Mito: Existe uma idade certa para furar as orelhas.

Não existe uma idade certa. Tudo vai depender de quando você achar que for o momento certo. Se você achar melhor esperar até que o seu bebê esteja um pouco maior ou se você é receosa quanto a possiblidade do bebê arrancar o brinco e se machucar, siga a sua intuição.

 

Mito: Tanto faz furar as orelhas em casa ou na farmácia.

Jamais tente furar a orelha do seu bebê em casa. O ideal é que o procedimento seja realizado por um pediatra, enfermeira ou farmacêutico com experiência em furar orelha de bebês. Após o furo, faça uma limpeza da área durante o banho e higienize com álcool para evitar a proliferação de bactérias.

 

Verdade: O brinco precisa ser de ouro ou platina.

O uso de brincos de ouro ou platina são os mais recomendados para evitar o risco de alergia. Outros tipos de metais possuem outros elementos misturados na sua liga, o que pode causar alergia ao bebê. Embora a alergia a metais seja mais comum na adolescência e na idade adulta, é sempre bom não arriscar. Caso você note alguma alteração na área que possa ser alergia, consulte o seu médico imediatamente.

 

Verdade: As orelha podem ser furadas logo após o nascimento.

O recém-nascido pode ter as orelhas furadas logo na maternidade. Não existe nenhuma regulamentação que proíba o procedimento, mas hoje em dia não são todas as maternidades que o realizam. A agência Nacional de Vigilância Sanitária(ANVISA) autoriza que o procedimento seja realizado em farmácias, desde que os brincos utilizados sejam estéreis e vendidos no próprio estabelecimento.

brinco para bebe

O primeiro brinco de uma menina é o primeiro símbolo da vaidade feminina. Tenha carinho na hora de escolher o modelo para que ele não machuque o bebê e nem tenha risco de enganchar nas roupas e cobertores.

 

Fonte: Terra


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]