[the_ad_group id="16401"]
Nutrição

Aprenda a tirar proveito dos benefícios da geleia real

Por Redação Doutíssima 31/07/2013

A geleia real é produzida a partir da secreção do sistema glandular cefálico – ou glândulas hipofaringeanas e mandibulares – das abelhas operárias. As jovens abelhas colhem a geleia para alimentar sua rainha, por isso a majestade do nome.

 

Pode ser pura coincidência, mas o fato é que a abelha rainha vive bem mais que as outras. Seria essa longevidade decorrente do consumo dessa iguaria ou apenas uma diferença entre a rotina da realeza e das operárias?

geleia real

Produto da secreção das abelhas possui substâncias antioxidantes e vitaminas. Foto: iStock, Getty Images

Considerada capaz de retardar o envelhecimento, atuar como estimulante e regenerador biológico, a geleia real é considerada uma queridinha do momento.

 

O uso do produto promete benefícios à beleza e à saúde em geral, já que teria potencial para uso em diversos tratamentos gastrointestinais, mas também um poder antioxidante que iria além do ganho estético para o ser humano.

O que é a geleia real

A geleia real é composta de água, proteínas, lipídios, açúcares, vitaminas, hormônios e sais minerais. Se estiver de acordo com o padrão normativo do Ministério da Agricultura e do Instituto Adolfo Lutz, o sabor padrão deve ser ligeiramente ácido e picante. Embora fisicamente tenha consistência espessa, sua aparência difere do mel, pois é mais leitosa.

Por mais que seja saborosa e tenha uma composição benéfica, a nutricionista Lília Refosco, do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, recomenda parcimônia no consumo. “É preciso lembrar que assim como no mel, na geleia real também há açúcares envolvidos e é um alimento calórico”, lembra. Uma colher de chá por dia costuma ser suficiente.

Outro alerta diz respeito a quem pode consumir o produto. Casos de diabetes e colesterol alto devem ser decididos junto com o médico, já que existem estudos que indicam a possibilidade de consumo, mas ainda não há um consenso na comunidade médica.  

Pesquisas sobre geleia real

As pesquisas sobre essa geleia ainda não comprovam todos os benefícios do seu consumo, mas parecem estar no caminho. A FAO, Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, menciona o produto e suas possibilidades para a saúde humana como ainda não confirmados cientificamente.

Parentes diretos, o mel e o própolis já possuem estudos mais avançados sobre seus efeitos à saúde e ao consumo humano. Suas características antioxidantes e antimicrobianas já foram testadas. Também foram comprovados os efeitos do própolis na cura de queimaduras, por exemplo.

No entanto, existem pesquisas com bons resultados, como as realizadas na Embrapa e Unicamp, a respeito dos efeitos da administração da geleia real em casos de doenças inflamatórias intestinais, além de também ser considerada capaz de restaurar o sistema imunológico em casos de infecções.

É preciso lembrar, ainda, que algumas pesquisas mostram resultados maiores para uma determinada aplicação de forma bem específica. Isso quer dizer que outros benefícios do produto podem ser descobertos com o tempo.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]