[the_ad_group id="16401"]
Guia dos Dentes

Tudo o que você queria saber sobre o sapinho (candidíase oral)

Por Redação Doutíssima 09/08/2013

Você já ouviu a expressão “pegar sapinho”? Provavelmente sim, quando seus pais e avós alertavam para que evitasse colocar qualquer objeto na boca. Ouvir não significa conhecer. Por isso, é importante saber o que causa essas erupções na boca que tanto incomodam adultos e crianças. A informação é o melhor meio de tratar o problema.

 

O que é o sapinho?

Primeiro vamos dar o nome correto para ele: Candida albicans. Esse fungo é bastante comum no organismo humano. Acredita-se que cerca de 80% da população tenha no sistema digestivo sem que cause nenhum dano à saúde. Em excesso, origina a candidíase.

sapinho

Erupções na boca incomodam e são ocasionadas por um fungo comum no organismo. Foto: iStock, Getty Images

De acordo com um artigo publicado na Revista Brasileira de Ciências da Saúde de 2010, essa alteração pode ser tratada utilizando antifúngicos, mas o mais importante é descobrir os fatores que causaram o problema, evitando novas erupções.

É mais comum acometer crianças, sobretudo as bem pequenas que ainda mamam, porém adultos também podem ter e transmitir. O maior prejuízo do sapinho é mesmo o desconforto causado pela dor. Nos pequenos, dificulta as mamadas e pode prejudicar a alimentação, já que não conseguem sugar o peito direito.

Causas do sapinho

Em geral, é causado pelo uso de antibióticos, seja pela mãe ou pela criança. Acreditava-se que o sapinho era “pego” devido a chupetas ou mamadeiras com bicos grandes demais, que proporcionavam o aparecimento do micro-organismo nas extremidades. Porém, essa teoria não se aplica, já que bebezinhos que só mamam no peito também apresentam o fungo.

A criança também tem chance de contrair no momento do nascimento, caso a mãe tenha uma candidíase vaginal, já que o fungo causador é o mesmo.

Uma das dúvidas mais frequentes dos adultos é se o beijo transmite sapinho. A resposta é sim, porém somente se a pessoa já é propensa a desenvolver fungos na boca ou tenha fatores que possam auxiliar no contágio.

Tipos de candidíase oral

Existem vários tipos de candidíase oral e a cada uma são atribuídas causas diferentes.

1. Candidíase eritematosa aguda

Essa apresenta eritema (vermelhidão cutânea) e dor. Em geral, é causada pela ingestão de antibióticos.

2. Candidíase eritematosa crônica

É mais comum nas pessoas que usam dentaduras. A vermelhidão costuma ocorrer na base dos dentes e, na maioria dos casos, não apresenta dor.

3. Candidíase hiperplásica crônica

Esse tipo é mais comum nos homens com mais de 30 anos e, principalmente, fumantes. As manchas são brancas e fortes, e não curam tão facilmente.

4. Glossite média romboide

 

Os fumantes e as pessoas que costumam usar inaladores são mais propensos a ter esse tipo de fungo. Causa uma alteração na língua (atrofia papilar) e costuma acontecer na área central da língua.

Como tratar o problema

Nem toda mancha branca na boca é sapinho. Isso porque, no caso do bebê, pode ser simplesmente resíduo de leite.

Se a criança apresentar sinal de dor e, por debaixo da manchinha branca, tiver vermelhidão, procure o médico pediatra. Em geral, eles recomendam uma pomada antifúngica para aplicar no seio da mãe e na boca do bebê. O tratamento dura em média nove dias.

Já os adultos, para se livrar do incômodo podem procurar um dentista ou mesmo um clínico geral. Por ser algo que tem cura, o ideal é, no inicio da ocorrência, procurar um profissional de saúde.

 


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]