[the_ad_group id="16403"]
Guia dos Dentes

Entenda a harmonia da face: Padrão face longa

Por Redação Doutíssima 02/09/2013

fl-1

Quando falamos da face do paciente, falamos em harmonia ou em proporção, que podem ser medidas ou são apenas vistas e apreciadas ou depreciadas. E nesse ponto, precisamos esquecer um pouco a posição de dentes e nos concentrar em linhas e ângulos formados pelas estruturas que compõe a face como: Lábios, Nariz, Olhos e ossos da face. Tudo isso para que você entenda melhor a harmonia da face.

Depois que já entendemos a face padrão I, II, III e face curta; já podemos ir para o último padrão considerado errado da face, com alterações em crescimento ósseo, repercutindo na face, que é o padrão face longa.

fl-3

Quais as características do padrão face longa?

– Discrepância vertical visível nas avaliações de frente e perfil, nesse caso, ao contrário do face curta, o paciente apresenta o rosto longo demais.

– Ausência de selamento labial, onde os lábios não se tocam quando o paciente está com a boca fechada e relaxada.

– Excesso de exposição de dentes no repouso e de gengiva no sorriso.

– Direção de crescimento predominantemente vertical. O rosto do paciente cresce como se fosse uma meia lua.

fl-2

O interessante dessa nova abordagem de análise facial é a possibilidade de, utilizando novas perspectivas, ter uma noção melhor de como o tratamento vai terminar, tanto nos dentes como na face.

É um paciente bem característico e que precisa ser tratado seja ortodôntica ou cirurgicamente, o mais rápido possível para que o paciente tenha o mínimo de efeitos colaterais possíveis. O tratamento melhorará tanto os dentes, quanto a funcionalidade do sistema mastigatório e também a face do paciente, sempre buscando uma maior harmonia e proporção, assim como no face curta.

fl-4

Com o final dessa nossa conversa de hoje, vamos poder entender melhor esse padrão, poder identificá-lo caso encontre alguém que conheça e o mais importante, encaminhar esse paciente para tratamento. Como em muitas famílias, esse padrão se repete, por ter fatores genéticos; o paciente vai se sentir “em casa” devido seu pai ou tio ou irmãos e primos terem uma face parecida. E cabe a nós darmos as informações necessárias para que esse paciente se trate e tenha uma vida melhor. O mesmo vale para os padrões II, III e face curta.

Terminamos aqui nossa jornada pela busca da harmonia da face. É uma das coisas que me faz amar ser ortodontista e mudar completamente a vida de um paciente, seja funcional ou esteticamente. Se você entender mais sobre odontologia vai poder se cuidar mais e ajudar seu dentista a cuidar de você.

 


[the_ad_group id="16349"]
[the_ad_group id="16404"]