[the_ad_group id="16401"]
Guia dos Dentes

Alzheimer na odontologia: quando as luzes se apagam

Por Redação Doutíssima 25/10/2013

al-4

Estou fazendo mais uma pós-graduação e dessa vez, fora do Brasil. Estou buscando abranger um algo mais que a ortodontia, um algo mais que a odontologia, tratar os pacientes mais difíceis de tratar, entender o motivos de certas doenças existirem e avaliar, juntamente com a neurociência e os fatores genéticos mutantes, que podem mudar completamente a vida de um ser que vai lutar a vida inteira pela simples razão de estar vivo e sobreviver. O Alzheimer é, assim como o câncer, a doença dos tempos modernos e além da medicina, precisa de dentistas capacitados para lidar com essa doença.

al-6

Não sou muito de me emocionar mas quando tenho contato com esse perfil de pacientes o coração aperta, as lágrimas precisam ser contidas e os olhos precisam mostrar mais do que pena. São pessoas que tiveram uma história e hoje não conseguem seguir a trilha de volta para o passado e se perdem em um presente sem futuro. Vi uma carta que está circulando na internet e não consegui verificar se é mesmo uma carta ou se é algum viral mas acredito que ela diga muito do que precisamos saber:

“Carta de uma mãe com Alzheimer para sua filha:

Querida filha, escute com atenção o que tenho para falar. O dia que esta doença se apoderar totalmente de mim e eu não for mais a mesma, tenha paciência e me compreenda. Quando eu derrubar comida sobre minha roupa e esquecer como calçar meus sapatos, não perca sua paciência. Lembre-se das horas que passei lhe ensinado essas mesmas coisas. Se ao conversar com você repito as mesmas palavras e você já sabe o final da historia, não me interrompa e me escuta. Quando era pequena tive que contar-lhe mil vezes a mesma historia para que você dormisse. Quando fizer minhas necessidades em mim, não sinta vergonha nem fique brava, pois não posso controlar-me. Pense em quantas vezes, quando era uma menina, te limpei e te ajudei quando você também não podia controlar-se. Não se sinta triste ao me ver assim. É possível que eu já não entenda suas palavras, mas sempre entenderei seus abraços, seus carinhos e seus beijos. Te desejo o melhor para sua vida com todo o meu coração. Sua mãe.”

al-3

A doença de Alzheimer (DA) é neurodegenerativa, progressiva e irreversível, normalmente ligada à pacientes idosos e é a causa mais comum de “demência” na população. Ela vem de forma lenta mais progressiva, se agravando cada vez mais. É incrível o número de pacientes que vem crescendo com essa doença e precisamos capacitar os dentistas para identificar os sinais e sintomas dessa doença bem como, saber como tratar e o que esses pacientes precisam como cuidados especiais.

al-1

Como são pacientes com muita dificuldade psico-motora, é claro que não conseguem executar a higiene bucal da forma correta e com isso, vão ter mais doenças bucais. Devido a grande falta de conhecimento dos dentistas em relação ao que fazer quando está diante de um paciente com Alzheimer ou mesmo de não reconhecer quando o paciente está ainda em fases iniciais, fica mais difícil ainda tratamentos como próteses removíveis, aparelhos ortodônticos, dentre outros.

Generic pic of an old woman in a wheelchair.

Não vou me deter em causas, tratamentos, sinais ou sintomas. Minha intenção aqui é chamar atenção para a necessidade de conhecermos melhor esses pacientes que precisam de cuidados especiais, não esquecendo que eles são cada vez em maior número e precisam de dentistas preparados para atendê-los ou encaminhá-los de forma correta.

 


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]