[the_ad_group id="16401"]
Guia dos Dentes

Saúde bucal: 12% da população brasileira nunca foi ao dentista

Por Redação Doutíssima 30/10/2013

sem-1

Fico cada vez mais indignado com os dados que vemos diariamente sendo divulgados com relação à saúde bucal da nossa população. Nossa saúde bucal está cada vez pior e o governo vem agindo como se isso não estivesse acontecendo. Diariamente me reciclo buscando os mais variados assuntos referentes à minha profissão e só depois começo a ver atualidades gerais e me preparar para o trabalho ou estudos de pós-graduação. Uma notícia que me deixou bem preocupado foi um texto do site terra que mostra dados alarmantes sobre perdas dentárias em adultos, acompanhe:

sem-4

“Ao mesmo tempo em que o Brasil concentra o maior número de cirurgiões-dentistas do mundo, mas metade da população adulta tem perda dentária grave. O número chega a 50% de adultos com apenas 20 ou menos dentes funcionais, enquanto entre os idosos essa taxa sobe para 70%. Apesar de o índice de cáries em crianças ter diminuído em função da água fluoretada que chega diariamente às torneiras de boa parte da população, ainda há grande incidência de doenças orais entre adultos.

Segundo dados do IBGE, quase 12% da população nunca foram ao dentista e apenas 40% dos entrevistados tinham consultado um cirurgião-dentista no ano que antecedeu a pesquisa. “A saúde oral do brasileiro melhorou muito nos últimos dez anos. Mas, é necessário haver mais iniciativas que estendam o tratamento dentário para cada canto do país. Afinal, quando um indivíduo perde um dente, perde também parte de sua saúde”, diz Adriano Forghieri, presidente da Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas (APCD).

sem-2

A preocupação que esses dados trazem é em relação com a prevenção de doenças orais que podem agravar e evoluir para quadros mais graves. Um estudo da American Heart Association, com mais de 40 mil pacientes, associa a perda dentária e doenças periodontais (gengiva) à ocorrência de acidente vascular cerebral isquêmico (AVCI) – também conhecido como derrame ou isquemia cerebral. Segundo a entidade norte-americana, homens com 24 dentes ou menos apresentavam risco aumentado de sofrer um AVCI quando comparados com aqueles que contavam com melhor dentição.

sem-3

O Instituto do Coração (Incor/USP) também divulgou estudo que comprova a importância da saúde bucal na prevenção de doenças como a endocardite infecciosa – instalação de bactérias e fungos no tecido endocárdico que reveste internamente o coração. A taxa mortalidade da doença é em torno de 25%.  “Além de ampliar e intensificar programas em nível municipal, estadual e federal para melhorar a saúde bucal dos brasileiros, há que se conscientizar ainda mais a população da importância do cirurgião-dentista e de como esse profissional pode e deve ajudá-la na prevenção de doenças orais, na manutenção dos dentes e na preservação da saúde como um todo”, diz o presidente da APCD. ”

sem-5

Vamos melhorar isso, mudar esses dados e tornar o futuro  livre de cárie e problemas bucais. Siga as nossas recomendações em casa e vá ao dentista periodicamente. Informe-se e entenda que o conhecimento é o seu maior aliado. Em nossas próximas conversas vamos falar isoladamente sobre alguns temas citados nesse artigo do site terra.


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]