[the_ad_group id="16403"]
Guia dos Dentes

Dente chipado é de verdade ou somente uma brincadeira

Por Redação Doutíssima 12/11/2013

chip-1

Achei extremamente interessante uns estudos de análise de saúde bucal. Um artigo espetacular que está sendo divulgado é sobre um micro chip (dente chipado) que seria capaz de identificar dados, dentro da boca, prevenindo e alertando sobre problemas bucais. Esse artigo do laboratório de química do estado sólido é bem legal. Se for algo que realmente é verdade e que pode chegar a ser comercializado, seria muito interessante para colaborar com a promoção da saúde bucal. Então vamos ver o artigo sobre o dente chipado:

“Michael McAlpine e sua equipe de Princeton (EUA) criaram o sensor químico comunicante, usando grafeno (trata-se de uma camada de carbono de um átomo de espessura). Sobre o grafeno, incorporaram um peptídeo com dupla função: colar-se ao grafeno e detectar as bactérias em nível de uma única célula. Encontraram um peptídeo rico em resíduos aromáticos com poder colante e o associaram a um outro peptídeo, que isolaram de uma rã tropical supersensível a três bactérias específicas. Juntaram, então, uma tag RFID (etiqueta eletrônica) que pode fazer alertas em caso de infecção.

chip-3

Trata-se de uma tecnologia que pode também ser prática para uso de militares em campo, a fim de determinar se uma ferida foi infectada, ou ainda em hospitais, onde pacientes com sistemas imunológicos enfraquecidos são vulneráveis às bactérias.

McAlpine espera comercializar o aparelho. Mas, a tatuagem desaparece à primeira escovação de dentes. Os cientistas enfatizam que, no momento, mais vale se concentrar primeiro no conceito, que sobre a funcionalidade. Na minha opinião, é preferível considerar o uso deste aparelho sobre um objeto não-biológico. Assim, bastaria passar o objeto na boca, para saber se o indivíduo está infectado. Science-Mag (Tradução – MIA).

Trabalho “Graphene-based wireless bacteria detection on tooth enamel”, de autoria de Manu S. Mannoor,Hu Tao, Jefferson D. Clayton, Amartya Sengupta, David L. Kaplan, Rajesh R. Naik, Naveen Verma, Fiorenzo G. Omenetto e Michael C. McAlpine, foi publicado na revista Nature Communications, número 3, Article number 763, 2012,DOI:10.1038/ncomms1767.”

Existem outros trabalhos como o da figura abaixo que já possui outros componentes e outras perspectivas.

chip-2

Temos que estar sempre atentos à novidades, por mais incomuns que elas possam ser. São várias as pesquisas, algumas delas bem loucas, que buscam os mais variados objetivos. Fico impressionado com a quantidade de laboratórios e muitos deles patrocinados por instituições privadas que tem interesse que determinadas pesquisas sejam realizadas e com os dados dessas pesquisas poderá ser feita propagando dos produtos da empresa que patrocinou. Mas essa é uma outra conversa que teremos em breve.

chip-4

Vamos esperar para ver se o dente chipado vai ser uma realidade.


[the_ad_group id="16349"]
[the_ad_group id="16404"]