sexo
A terapia sexual difere das outras formas de tratamento das disfunções sexuais pela objetividade da cura do sintoma sexual empregando-se técnicas médicas e psicológicas concomitantemente de um modo focal e breve. O terapeuta sexual busca a melhora da atividade sexual ao mesmo tempo que procura um melhor relacionamento entre o casal.

O tempo despendido converge para a cura das disfunções tais como, a falta de desejo, a disfunção erétil ou o vaginismo e se distingue de outras formas de tratamento como por exemplo, a terapia conjugal ou a psicanálise, pois estas duas modalidades de tratamento observam os problemas sexuais como expressões de conflitos subconscientes e ou transações intrapessoais destrutivas, não tratando o sintoma sexual diretamente nem isoladamente de outros problemas. O alvo inicial e principal da terapia sexual seria a modificação das causas imediatas e das defesas contra a sexualidade. Lidamos porém com a estrutura mais remota do problema apenas na extensão em que for necessário para aliviar o sintoma visado e como garantia de que o problema possa ser superado.
A terapia do sexo é considerada completa quando a dificuldade sexual do casal for aliviada, porém o tratamento só estará concluído quando os fatores que eram diretamente responsáveis pelo problema forem identificados e suficientemente resolvidos.

 

Terapia tradicional x Terapia sexual

Tomemos como exemplo um jovem casal em que o marido sofre de ejaculação precoce. Na primeira entrevista notamos uma hostilidade deste contra a esposa e um grau de dependência e medo de perdê-la. As teorias psiquiátricas tradicionais dizem não ser possível modificar causas superficiais sem resolver dificuldade subjacente, portanto um psicanalista diria que a razão provável destes conflitos tem raízes na infância do paciente com a mãe e tentaria resolver os complexos edipianos para obter insight das fontes inconscientes de sua raiva das mulheres e do medo de abandono curando-o assim de sua ejaculação precoce.

casal-sexo-cama-18199

Já um conselheiro conjugal, tentaria identificar e resolver as causas transacionais do problema isto é a hostilidade entre o casal que muito provavelmente estaria reforçando a prematuridade do marido. No tratamento com um terapeuta sexual, o objetivo principal seria modificar a causa imediata da ejaculação precoce que muito provavelmente seria a falta de consciência do homem das sensações eróticas premonitórias do orgasmo. Na terapia do sexo, os conflitos são abordados de forma a possibilitar uma melhor qualidade de interação conjugal para que a sexualidade possa fluir mais livremente. Desta forma o tratamento é direcionado para o conflito especifico imediato sexual da relação, que esta prejudicando diretamente o funcionamento no aqui e agora.

Os problemas orgânicos e ou emocionais de atuação imediata que prejudicam a resposta sexual são resolvidos, e se causas remotas de conflitos existirem , estas serão abordadas somente se criarem obstáculos ao funcionamento e desempenho sexual. Muitos pacientes de ambos os sexos com disfunções sexuais parecem estar livres de bloqueios inconscientes, mesmo com questões edipianas, ansiedades de castração, personalidades neuróticas ou relações conjugais destrutivas, embora tais dificuldades quase sempre causem disfunções. Existem mecanismos por meio dos quais é possível que um bom funcionamento sexual coexista com conflitos emocionais e dificuldades conjugais. Em certo sentido, o tratamento breve de disfunções sexuais procura contornar defesas ,mesmo que os sintomas apareçam emaranhados numa psicopatologia mais extensiva.

A terapia do sexo é na verdade uma forma de tratamento centralizada com solução rápida de conflitos.