casal_sexo_materia

Como em todo lugar, a curiosidade ligada ao assunto sexo é grande por aqui também. Recebemos diversas questões e pedimos para o nosso ginecologista e sexólogo Dr. Amaury Mendes Júnior responder à todas sem tabu, claro. Então fiquem ligados, a resposta de sua pergunta pode estar neste artigo.

 

Por Dr. Amaury Mendes Jr.

Como em minha clínica, também tenho o prazer de responder às dúvidas dos leitores do Doutíssima. Então não hesitem à me enviar suas questões! Vamos lá:

 

“Doutor, tenho umas pequenas borbulhas no pênis. Outras são maiores quando as espremo e tornam-se numa borbulha grande vermelha que passado um tempo desaparece. Já tenho este problema, com estas borbulhas, faz algum tempo. É motivo para alarmar? Por que é que aparecem?”

Pela sua descrição, devem ser bolhas de herpes genital que tem como característica o aparecimento esporádico sempre na mesma região em que ocorreu pela primeira vez. Não devem ser tocadas, pois podem agravar os períodos de crise. Aconselho que procure um urologista para diagnóstico e tratamento corretos.

 

“Tive a minha primeira vez com meu namorado, mas não sangrou. Como eu posso saber se ainda sou virgem? Eu preciso ir no médico?”

A primeira relação não produz obrigatoriamente sangramento. Geralmente quando a mulher está suficientemente excitada e tem amor e confiança pelo parceiro, o organismo relaxa e a vagina lubrifica-se de tal forma que o himem ( membrana fina) distende-se sem causar dor e ou sangramento.

A perda sanguínea pode ocorrer em caso de himens mais espessos ou mesmo quando a relação provoca um certo grau de ansiedade e tensão, fazendo com que a mulher não consiga relaxar e lubrificar adequadamente para uma penetração prazerosa.

Seria conveniente uma avaliação médica de rotina com finalidade de iniciar os cuidados com a saúde sexual. A mulher sai do pediatra direto para o ginecologista, e desta forma protege-se de problemas durante toda sua vida.

casal-sexo-oral-14722

 

 

“Meu namorado disse que a gente tem que fazer sexo todos os dias só que eu acho muito. Isso é normal? Não faz mal fazer tanto sexo assim?”

Cada indivíduo nasce com um certo grau de aptidão sexual. Homens e mulheres são influenciados por cultura, família e religiosidade que direcionam e modelam a conduta sexual.

Sua questão refere-se ao que é normal quanto a frequência sexual, sendo assim podemos dizer que o correto seria deixar fluir as sensações que o corpo emana pelo desejo sem preocupar-se com a quantidade dos atos sexuais. Muitas vezes vale mais uma relação intensa do que várias outras sem desejo.

Porém respondendo à sua pergunta, o sexo desde que protegido, não causa nenhum mal desde que o casal esteja engajado no momento.

 

“Minha namorada é virgem, mas sempre rola umas pegações na casa dela e o clima pega fogo. Eu gozo nas pernas dela, por cima da calcinha. Tem risco dela engravidar?”

Ejacular fora da vagina e por cima da calcinha diminui a possibilidade de que possa ocorrer uma gravidez.

Porém é preciso atentar para o fato de que durante a ovulação, o colo uterino está aberto produzindo um líquido que escorre até a entrada da vagina. E se acrescentarmos a este fato, uma vagina responsiva e lubrificada pelo estímulo erótico, poderemos considerar a possibilidade de uma fecundação. Portanto é melhor se precaver e evitar uma gravidez inadequada.

 

Ainda responderemos às outras questões em breve, mas estamos abertos e ansiosos para ouvirmos mais. Envie sua dúvida! 🙂

Ainda não leu?


20 Dicas para ser boa de cama

25 Frases picantes que um homem pode falar para uma mulher

10 dicas de arrasar para um homem ser bom de cam

Como fazer uma massagem erótica

20 posições sexuais para apimentar sua hora H

10 Dicas especiais para as preliminares

5 Fantasias sexuais que você deveria testar


DEIXE UMA RESPOSTA