img_20090825_163916

É fato: o menor interesse pela maternidade e a tendência de postergá-la são resultantes da participação crescente  da mulher no mercado de trabalho nas últimas décadas. Contudo, de acordo com o sugerido por um recém-publicado estudo da Universidade da Califórnia, quase metade dessas mulheres ficarão chocadas ao compreenderem a queda vertiginosa da fertilidade ao fim da quarta e início da quinta década de vida.

O estudo californiano avaliou as percepções equivocadas sobre o impacto da idade sobre a fertilidade em mulheres com idade igual ou maior de 40 anos, antes e depois de se submeterem à fertilização in vitro (FIV). O que as mulheres com idade reprodutiva avançada entendem sobre a relação entre idade e fertilidade antes e logo depois do parto de seu primeiro filho? Essa foi uma pergunta formulada por Mac Dougall e colaboradores.

Dentre as mulheres entrevistadas, 30% acreditavam que teriam alguma fertilidade até a menopausa, por volta dos 50 anos, e 31% acreditavam que a gravidez chegaria sem dificuldades aos 40 anos de idade. Estilo de vida saudável e histórico familiar de fertilidade abundante levavam às crenças equivocadas em cerca de um quarto daquelas mulheres. Informações incorretas de amigos, dos médicos e da mídia, principalmente com relação às gestações de celebridades em idade avançada, também receberam destaque como motivos por quase 30% das mulheres.

Os resultados do estudo, acima resumidos, denotaram uma preocupante desinformação.De acordo com Leridon, 75% das mulheres que iniciam as tentativas de engravidar aos 30 anos darão à luz um nascido vivo dentro de 12 meses, enquanto apenas 44% o farão quando o início das tentativas ocorre aos 40 anos de idade. Em coortes históricas, as respectivas taxas de infertilidade entre mulheres casadas nas faixas etárias de 20 a 24, 25 a 29, 30 a 34, 35 a 39 e 40 a 44 anos foram de 6%, 9%, 15%, 30% e 64%.

O estudo de Gomes e colaboradores também apontou para a idade de 40 ou mais anos como sendo determinante de resultados menos satisfatórios em técnicas de reprodução assistida. Os últimos dados da Red Latinoamericana de Reproducción Asistidapontuaram redução significativa das taxas de gravidez em FIV com óvulos próprios: 41% na faixa etária de 25 a 29 anos; 37% de 30 a 34 anos; 30% de 35 a 39 anos e 15% com 40 ou mais anos.

O estudo subsidiado pelo US National Institute of Child and Human Development remete mais uma vez à preocupante dificuldade vivida no cotidiano do especialista em medicina reprodutiva, que, conhecendo os dados mencionados, recebe diariamente em seu consultório mulheres absolutamente saudáveis e em plena capacidade profissional, mas com idade reprodutiva avançada.
Fica aqui o alerta!

Referências consultadas: [1] Mac Dougall K, Beyene Y, Nachtigall RD. Age shock: misperceptions of the impact of age on fertility before and after IVF in women who conceived after age 40. Hum Reprod 2012 [Epub ahead of print]. [2] Gomes LMO, Canha AS, Dzik A, Novo NF, Juliano Y, Santos SIS, Cavagna M. The age as a predictive factor in in vitro fertilization cycles. Rev Bras Ginecol Obstet 2009;31:230-234. [3] Larsen U, Yan S. The age pattern of fecundability: an analysis of French Canadian and Hutterie birth stories. Soc Biol 2000;21:31-49. [4] Leridon H. Can assisted reproduction technology compensate for the natural decline in fertility with age? A model assessment. Hum Reprod 2004;19:1548-1553. [5] Menken J, Trussell J, Larsen U. Age and infertility. Science. 1986; 233(4771):1389-1394. [6] Zegers-Hochschild F, Schwarze JE, Musri C, Crosby J (Org). Red Latinoamericana de Reproducción Asistida. Registro Latinoamericano de Reproducción Asistida [Internet]. 2009. Available from: http://www.redlara.com/images/arq/Registro2009.pdf.