Clínica Geral

Saiba mais sobre a paralisia infantil e como evitá-la

Por Redação Doutíssima 28/01/2014

download

Você sabe o que é a paralisia infantil ? Também chamada de Poliomielite, essa é uma doença contagiosa causada pelo poliovírus. Apesar de ser conhecida como uma doença infantil, o poliovírus também afeta adultos e pode ou não provocar uma paralisia.

O contágio se dá por via fecal ou oral. A pessoa pode se contaminar quando entra em contado direto com as fezes ou secreções expelidas pela boca de portadora do vírus .A multiplicação do vírus começa na garganta ou nos intestinos, locais por onde penetra no organismo. Dali, alcança a corrente sanguínea e pode atingir o cérebro. É nessa fase que o vírus atinge sua função mais perigosa. Quando chega ao cérebro, a infecção ataca o sistema nervoso, destruindo os neurônios motores que provoca a paralisia em um dos membros inferiores.  Se o vírus atingir os centros nervosos responsáveis pelo controle dos músculos respiratórios , a doença pode causar à morte.

 

Os sintomas da paralisia infantil:

Em geral, a pessoa infectada pelo vírus da poliomielite pode não manifestar nenhum sintoma, mas isso não impede que ela seja contagiosa, pois o vírus é eliminado pelas fezes e pode contaminar a água e os alimentos. Nos casos de manifestação de sintomas, eles variam de acordo com a gravidade da infecção. Quando o vírus não causa a paralisia, os principais sintomas que são observados são febre, mal-estar, vômitos, diarreia ou constipação, espasmos, rigidez na nuca e meningite, dor de cabeça, dor de garganta e dores no corpo. Na forma paralítica, quando a infecção atinge as células dos neurônios motores, a pessoa apresenta flacidez muscular que afeta um dos membros inferiores, além dos outros sintomas citados.

 

Para prevenir a paralisia infantil:

imagesA melhor maneira de prevenir a doença é tomando a vacina corretamente e levando as crianças para receber a vacinação. No Brasil, o ministério da saúde promove uma campanha nacional de vacinação contra o vírus. Existem duas vacinas. A VPO-Sabin, conhecida popularmente como a vacina da gotinha é a vacina oferecida pelo ministério da saúde do país. As crianças devem tomá-la aos 2, 4, 6 e 15 meses de idade, e tomam doses anuais de reforço até os cinco anos. A vacina Salk, administrada por injeção, é indicada para pessoas expostas ao vírus, com baixa imunidade, ou que viajarão para regiões onde o vírus ainda está ativo.

 

Também é importante notar que o contágio é maior em locais de baixa higiene e com problemas de saneamento básico. Ensine bons hábitos de higiene às crianças. Procure sempre lavar as mãos após usar o banheiro e antes de cozinhar ou se alimentar. Beba apenas água tratada e potável.


Sites parceiros