[the_ad_group id="16401"]
Relacionamento

4 Dicas financeiras para jovens casais

Por Redação Doutíssima 29/01/2014

O casamento é um momento muito importante na vida de um casal, porém, a questão financeira vem junto com esta nova etapa. Muitos casais não se organizam nem traçam metas para manter uma estabilidade financeira, muito menos tocam no assunto « dinheiro ». Veja alguma dicas de como construir um futuro financeiro com seu marido ou esposa:

jovem casal

1) Dialogue

Comunicar é sempre importante na vida de um casal. Conversar sobre questões fincanceiras também é importante, pois desacordos envolvendo este assunto podem trazer dificuldades e desentendimentos ao casal.

Nathan Gehring, planejador financeiro e proprietário de Appleton, Wisconsin-based Couples Financial Planning & Coaching, confirma: “Realmente, se começa como um casal quando se considera o que o outro espera de você e o que você espera do outro e assim, decidir como ficará a área financeira”.

Planejar o futuro fincanceiro pode até ser uma tarefa chata, mas é assim que o casal formará suas bases, onde construirão juntos um futuro.

“Eles vão criar um próprio estilo de vida e aquelas necessidades que pensaram que eram importantes, como comer fora, fazer compras em certos lugares, podem não ser tão necessárias como imaginava. Quando se acertam, tomam melhores decisões”, explica Adriane Berg, autora do Financial Planning for Couples.

Discuta com o seu parceiro, através de pequenas ou longas conversas, sobre como vocês dois veem o dinheiro e como ele faz parte de suas vidas. Por exemplo, se seu parceiro for contra possuir uma casa propria, é importante dialogar sobre isso antes.

“Uma das maiores armadilhas para um casal é o fato de não entender as crenças e histórias monetárias do outro”, afirma Gehring. “Todos nós crescemos aprendendo algumas lições sobre o dinheiro. É aí que o casal entra em atrito e dificuldade”, completa.

2) Divida as responsabilidades

Além do compartilhamento de informações e ideias, o compartilhamento das responsabilidades também deve ser realizado. Este é um fator muito importante, pois pode gerar conflitos se, por exemplo, um dos dois jovens apresentar a pretensão de « dominar » o controle das finanças. Além disso, proporcionar o acesso ao dinheiro aos dois é uma questão de confiança.

“Eu acho que ambos os lados devem fazer tudo. Eles deveriam fazer juntos, se reunirem para saber o que está acontecendo e não desistir ou abdicar de qualquer coisa, desde pagar contas até as questões de seguro”, diz Berg. “Vejo (agora) pessoas muito mais maduras. Percebi quanta riqueza a mais é alcançada quando o casal une as forças até o fim”, acrescenta.

3) Fuja das dívidas

Se o jovem casal possuir uma dívida, ela deve ser absolutamente adicionada à conversa sobre o futuro financeiro. Se ignorada, uma dívida pode trazer um sério problema: a baixa pontuação de crédito.

“Um dos objetivos a ser definido antes do casamento é melhorar a pontuação de crédito. Isso pode significar a consolidação de um empréstimo, pagamento de dívidas ou corte dos cartões de crédito”, explica Berg.

As dívidas podem, eventualmente, exigir pagamentos regulares. Porém, isso não quer dizer que você deva adiar a economia para a aposentadoria.

“Se o empregador contribui com 50%, é muito melhor pagar uma dívida de 6%. Isso não significa que você deve ignorar a sua dívida, mas deve haver um lugar para a aposentadoria a longo prazo”, diz Martin Keil, gerente da Crowell, Weedon & Co., em Los Angeles.

4) Não espere para poupar

Por mais que você sonhe em formar uma família, ter filhos e netos, é sempre bom esperar o momento certo. “Quanto mais cedo você começar (a poupar para a aposentadoria) vai ser melhor. Basta fazer os cálculos de juros. Muitas pessoas atrasam suas poupanças a longo prazo, quando se deveria começar imediatamente”, explica Keil.

Keil acrescente que os jovens casais podem proteger seus bens aproveitando os benefícios a longo prazo dos impostos e criando um fundo de confiança. Ele afirma que a maneira mais simples é através do empregador.

“Sempre pense em colocar dinheiro em um plano de aposentadoria de uma empresa onde você possa receber uma contribuição do empregador, já que isso é parte do seu salário. Se você não está fazendo isso, está devolvendo o dinheiro ao seu empregador”, afirma Gehring.

Reserve em seu orçamento mensal uma economia pequena e regular. Isso pode garantir, por exemplo, férias geniais em um lugar maravilhoso, se você souber gerar bem suas economias.

“As pessoas que fazem isso tem uma vida financeira estável e podem se aposentar muito jovem, a partir dos 40 anos. Basicamente, planejam sua própria previdência”, diz Berg.


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]