[the_ad_group id="16401"]
Especialidades

Veja 5 mitos sobre doar sangue

Por Redação Doutíssima 29/01/2014

Doar sangue é uma causa nobre. O problema é que poucas encontram tempo para ir até as unidades de doação ou participar de campanhas de conscientização. Não bastasse isso, mitos sobre esse assunto não faltam.

doar sangue

Doar sangue pode ajudar a salvar vida. Foto: iStock, Getty Images

Por que doar sangue é importante?

Os avanços médicos e tecnológicos ainda não permitiram a cientistas reproduzir o sangue humano. Dessa forma, a única maneira de obtê-lo é através da doação. Não bastasse o fato de salvar vidas, doar sangue é capaz de fazer muito bem à saúde do doador.

Analisando dados de doadores de 43 a 61 anos de idade, pesquisadores descobriram que essas pessoas tinham risco reduzido de ataques cardíacos e derrames quando doavam a cada seis meses. As conclusões foram publicadas no Journal of the American Medical Association (JAMA).

Resultados semelhantes foram encontrados por um estudo divulgado no American Journal of Epidemiology. Os investigadores descobriram que homens que doaram sangue ao menos uma vez por ano tiveram um risco 88% menor de ataques cardíacos do que aqueles que não doaram.

Segundo os especialistas, há uma explicação para isso. É que a remoção do ferro oxidativo do organismo, através de doações de sangue, significa menos oxidação e chances reduzidas de doenças cardiovasculares.

Mitos sobre a doação de sangue

Muitas informações errôneas sobre doação de sangue afastam os doadores. Está na dúvida? Confira algumas das confusões mais frequentes e suas explicações:

  1. Doação de sangue causa fraqueza

Muitas pessoas sentem que a doação de sangue pode deixá-las fracas. Isso não é verdade. Em realidade, o que acontece é você pode levar de um a dois dias para repor o volume de líquidos no corpo e até três meses para regeneração de células vermelhas. Porém, você não irá sentir os efeitos disso em sua saúde.

  1. Doar sangue aumenta chances de contrair doenças

Várias pessoas pensam que seringas e agulhas utilizadas para recolher sangue aumentam as chances de contrair AIDS, hepatite ou outras doenças contagiosas. Pois saiba que todos os materiais utilizados no recolhimento de sangue são estéreis e descartáveis.

  1. É um processo muito dolorido

Quem doa sangue pela primeira vez pode ficar um pouco ansioso, mas a verdade é que a picada da agulha só é dolorida durante os primeiros dois segundos do procedimento. A exceção fica por conta daqueles com veias de difícil acesso.

  1. Idade é um impedimento para doação de sangue

Qualquer pessoa com até 60 anos de idade que se encontra apta e saudável pode ser uma doadora de sangue.

  1. Quem toma medicação não pode doar sangue

Tudo depende. Há medicações que realmente impedem, mas quem deve definir isso é a pessoa responsável ou o pessoal de enfermagem do local em que você irá doar. Não esqueça de informar essa circunstância a eles.

E aí, você já é um doador? Deixe um comentário! E não esqueça de compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]