Cirurgia plástica dá volume e simetria aos seios, melhorando o aspecto das mamas, podendo melhorar de forma considerável a autoestima da mulher

implante de silicone nos seios

Não é novidade que a autoestima depende muito de como nos sentimos em relação ao nosso corpo. Por isso buscamos tantos tratamentos e intervenções cirúrgicas com o objetivo de torna-lo mais aceitável em nossa opinião. Isso fica ainda mais evidente se considerarmos o aumento do número de implante de silicone nos seios nos últimos anos.

De acordo com a International Society for Aesthetic Plastic Surgery (Isaps), o Brasil ficou em segundo lugar no ranking de implante de silicone nos seios em 2011, com quase 150 mil procedimentos. O país ficou atrás somente dos Estados Unidos (mais de 284 mil) procedimentos.

Também conhecido como mamoplastia, o implante de silicone nos seios tem como principal objetivo aumentar o volume das mamas, ao mesmo tempo em que melhora a simetria, o contorno e dá mais firmeza. Isso pode devolver a autoestima feminina, fazendo com que ela se sinta melhor com o seu corpo.

Em alguns casos a decisão de fazer um implante vem da insatisfação da mulher com o formato dos seios, seja pela questão natural ou mesmo pela ação do tempo, que normalmente compromete a sustentação e firmeza das mamas. Tem ainda os casos em que a perda de peso ou a gravidez deram um novo formato, levando ao desejo de deixa-los como antes.

implante de silicone nos seios

Contraindicações para o implante de silicone nos seios

Os médicos não indicam o implante de silicone nos seios para mulheres que possuem um histórico familiar direto de câncer de mama, como mãe ou avó diagnosticadas. O motivo é a falta de um consenso científico em relação à possibilidade de realização de futuros exames de imagem (como a mamografia, por exemplo). Neste caso, as próteses poderiam atrapalhar ou mesmo impedir a sua realização.

As doenças clínicas que apresentem certa gravidade, também podem levar à contraindicação para o implante se silicone nos seios, além das doenças imunológicas como a artrite, a reumatoide, a esclerodermia e o lúpus, com o risco de piorar a doença. É importante destacar que as pessoas soropositivas (HIV) devem evitar procedimentos que possam descompensar o sistema imunológico, o que limita a realização de cirurgias.

São feitos diversos testes antes de se decidir pela realização de um implante de silicone nos seios, entre eles um que ajuda a determinar qual é o tamanho da prótese que será implantada. Ele pode ser feito de duas formas: provar próteses de diferentes tamanhos com sutiã ou usar programas que simulem as mudanças a partir de uma foto da paciente. Neste segundo é possível ver o efeito visual aproximado do resultado pós-cirúrgico.

Não há um limite mínimo ou máximo de idade determinado para a realização do implante de silicone nos seios, mas em caso de pacientes mais jovens é preciso que ela já tenha completado o desenvolvimento das mamas. Outra coisa observada antes de optar pela intervenção é a maturidade da mulher em relação aos motivos pelos quais ela decidiu fazer a cirurgia.

 Saiba mais:

Como é feita a cirurgia de prótese de silicone

Silicone melhora sua vida sexual. Você acredita?

Como escolher a sua prótese de silicone

Silicone: boa ou má? Cirurgião plástico tura todas as suas dúvidas

4 dicas importantes para colocar silicone com segurança

Cirurgia plástica: mitos e verdades

Os riscos da cirurgia plástica


2 Comentários

  1. Sempre tive vontade de aumentar meus seios, e depois que tive minha filha a vontade só aumentou, pois queria melhorar seu formato. Procurei a Clínica Master Health, em SP, e a cirurgia foi um sucesso, eu amei mesmo o resultado!

  2. Digo com muita segurança que minha vida mudou para melhor depois que coloquei as próteses de silicone nos seios. Me sinto muito mais bonita e confiante! Fiz meu procedimento na Montenegro Cirurgia Plástica, e o Dr. Wagner foi ótimo, me orientou super bem em todas as etapas!

Comments are closed.

DEIXE UMA RESPOSTA