câncer de pâncreas

Pesquisadores da Universidade de Gotemburgo, no sudoeste da Suécia, desenvolveram um novo método para tentar diagnosticar a tempo o câncer de pâncreas.

 

A pesquisa sobre o câncer de pâncreas

A médica do hospital universitário de Sahlgrenska em Gotemburgo, Karolina Jabbar, disse que há “muitas esperanças de que o método permita detectar mais casos precoces (…) em uma fase na qual o câncer ainda pode ser tratado ou detido”.

— É como uma endoscopia comum, com a diferença de que um tubo emite ultrassons e permite ver o órgão muito melhor para extrair o líquido. Graças a este método de análise, é possível determinar em que fase está o câncer.

Este procedimento, que permite limitar o uso da cirurgia, pode começar a ser utilizado em um prazo máximo de cinco anos.

O câncer de pâncreas tende a se expandir rapidamente pelo corpo e é particularmente letal, já que em muitos casos só é descoberto depois de ter se espalhado.

Os pacientes que não recebem tratamento normalmente morrem entre três e seis meses depois e a taxa de sobrevivência de cinco anos depois é de apenas 4%.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!

Saiba mais:

Como lidar com a depressão no tratamento do câncer?

Remédio adia necessidade de químio em câncer de próstata avançado

Casos de câncer devem aumentar 57% em duas décadas, diz OMS

Casos de câncer no mundo vão crescer 50% em 20 anos

SP e RJ concentrarão 40% dos casos de câncer previstos para o País em 2014

Silvio Santos retirou câncer de pele em 2013

Mortalidade por câncer cresce mais no interior