[the_ad_group id="16401"]
Medicamentos

Saiba o que é melatonina e para quê ela serve

Por Redação Doutíssima 16/03/2014

A melatonina é um hormônio secretado pela glândula pineal, localizada no cérebro,que influencia a regulação do sono. Ele é produzido naturalmente pelo organismo quando anoitece , respondendo ao escuro, por se tratar de uma molécula inteligente, ela trabalha de forma seletiva, atuando somente onde e quando necessário.Mas com o passar do tempo, a medida em que vamos envelhecendo, a quantidade de melatonina produzida pelo nosso corpo diminui, o que faz com que a pessoa sofra de insônia ou tenha um sono pouco reparador.

melatoninaAté pouco tempo acreditava-se que a melatonina agisse apenas sobre os centros cerebrais envolvidos no controle do relógio biológico, estimulando o sono. Por essa razão, suas indicações mais conhecidas eram contra a insônia e outros distúrbios associados ao sono.

Pesquisas feitas por todo o mundo mostram que a melatonina, não é eficaz apenas contra a insônia ela pode auxiliar também o emagrecimento, protege contra os danos causados por acidente vascular cerebral, auxilia no controle da hipertensão e da diabetes e reduz as crises de enxaqueca. Uma outra descoberta foi que a melatonina pode também auxiliar na diminuição da queda de cabelo.

Afinal de contas, para que serve a melatonina?

 

Basicamente a melatonina serve para regular o sono, o ciclo circadiano de sono-vigília, essa é a função mais conhecida dela. Mas foi descoberto que a melatonina pode auxiliar ao combate ou controle de outras enfermidades.

As descobertas feitas em torno da eficacia da melatonina são feitas gradativamente. Atualmente uma das áreas que podemos encontrar informações sólidas a respeito, além dos distúrbios do sono, é a do câncer.Os estudos começaram a ser feitos quando apareceu uma indicação do aumento do risco da doença relacionado ao trabalho noturno. A edição online do “British Medical Journal” divulgou que um levantamento mostrou que mulheres que trabalharam em turnos noturnos por mais de 30 anos apresentaram duas vezes mais chances de desenvolver câncer de mama. Outra, divulgada no “American Journal of Epidemiology”, mostrou a relação entre homens trabalhadores noturnos a risco elevado para câncer de próstata, pulmão, bexiga, reto, pâncreas e linfoma não Hodgkin. Foi então levantada a hipótese de que a causa seria a baixa produção de melatonina.

No Brasil existe um projeto de pesquisa, guiado pelo endocrinologista Bruno Halpern, coordenador da Liga de Diabetes do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP), que pesquisa o efeito da melatonina sobre a gordura marrom, conhecida como gordura que emagrece. A ideia é provar a menor ativação do tecido marrom, que auxilia a queima de gorduras armazenadas, entre os indivíduos que se expõem a maior quantidade de luz durante a noite.

melatoninaO instituto de Ciências Biomédicas da Usp, fazem estudos que pretendem mostrar como a melatonina influencia o metabolismo energético e repercute na manifestação da diabetes. Especialista diz que ela potencializa a ação da insulina e que quando sua produção é baixa ou sua atuação é prejudicada, acumula-se açúcar no sangue, caracterizando a diabetes.

Já na Itália são feitos estudos a respeito do efeito do hormônio sobre a depressão. Sabendo que durante a doença o o ritmo circadiano, mediado pela substância, encontra-se alterado. Outra pesquisa feita na Itália mostrou que a melatonina ajuda também a controlar o desejo de comer durante a noite, além de auxiliar o emagrecimento por estimula a atividade de moléculas envolvidas na supressão do apetite.

Essa substância ainda não é legalizada no Brasil, alguns especialistas ainda acreditam que ela pode agravar diversas doenças ou no caso da insônia gerar sono excessivo prejudicando o rendimento laboral do paciente. Já outros especialistas acreditam que ela deveria ser vendida como medicamento, especialmente para ser usada em idosos, já que a produção da melatonina diminui com a idade.No entanto, não é proibido o seu consumo sendo possível importá-lo.

Mas é importante ficar atento quanto ao uso excessivo desse hormônio como todo medicamento, existem efeitos colaterais, no caso da melatonina são:dor de cabeça, náuseas e mal estar geral. O mais aconselhado é procurar um médico antes de começar a usar o hormônio.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!

 

Saiba mais:

Conheça 4 hormônios do ciclo menstrual

Como acabar com a insônia sem precisar contar carneirinhos

Aprenda a fazer os melhores sucos para emagrecer

É sério! Entenda porque a apneia do sono pode trazer problemas à sua saúde

Doença do sono: sintomas, causas e tratamento

Café a tarde pode atrapalhar o sono

11 alimentos que estimulam o sono

 


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]