Antes de optar por uma cirurgia, conheça melhor as possiblidades de tratamento para a retinopatia diabética. 

retinopatia diabetica

Uma das principais causas de cegueira no mundo, a retinopatia diabética, atinge a grande maioria dos diabéticos, especialmente aqueles que não são bem controlados. É uma questão de tempo.

Um dos primeiros órgãos a serem atingidos são os olhos. Este, tendo na sua camada nervosa interna a retina, que é uma extensão do sistema nervoso central (SNC), é o local onde encontramos a maior concentração de oxigênio do corpo humano, sendo por isto, o local onde os efeitos iniciais da doença se manifestam sob diversas formas (degeneração vítrea, catarata, etc.).

No diabetes, ocorre um fenômeno conhecido como glicação, que é a ligação da glicose com proteínas importantes (colágeno e elastina) dando origem aos AGES (advanced glications and produtions), verdadeiras fabricas de radicais livres (RL), o vilão de toda a doença.

Sabemos que o oxigênio que respiramos, 98 % dele é necessário para a formação da nossa energia vital (respiração celular aeróbia, formação de Ciclo de Krebs – ATP) e de 2 a 5% formam os RL que neste quantitativo são colaboradores do nosso sistema imunológico, quanto a etrada de agentes invasores (antígenos e microorganismos).

Ocorre que na nossa alimentação, encontramos aditivos químicos (corantes, acidulantes, etc.), agrotóxicos, e em face dos solos pobres em minerais, vegetais quantidades nutricionais deficientes. Os alimentos de origem animal também estão contaminados por hormônios e outras substâncias nocivas à saúde. Junte-se a isso, o stress, radiações, fumo, alcoolismo exercícios extenuantes que aumentam acentuadamente a formação de RL, provocando o desequilíbrio deste quantitativo benéfico, o que leva a lesões no nosso DNA, gerando as doenças.

Todo o sistema vascular é comprometido, em especial, os pequenos vasos, situados nos olhos, coronárias e rins. O exame oftalmológico nos proporciona a observações dessas lesões quando se realiza o fundo de olho.

retinopatia diabeticaComo tratar a retinopatia diabética?

A oftalmologia, numa visão muito especializada, esquecendo que o olho faz parte de um todo, oferece ao paciente, a aplicação do raio LASER, que melhoram temporariamente a evolução da doença, sendo que, como se trata de uma energia, ao atravessar o cristalina, precipitam as proteínas do mesmo, acelerando a evolução da catarata.

Com a evolução da medicina ortomolecular e seus poderosos antioxidantes, utilizados sob forma de manipulação ou mesmo na forma intravenosa, podemos reverter essas lesões, não somente dos olhos, em toda a microcirculação dos órgãos. Ressalte-se que isto é possível, na fase não proliferativa do diabetes. Em fases mais adiantadas também podem ocorrer melhoras, porem em menores proporções.

As vantagens em relação ao LASER são: melhora de todo o sistema vascular, especialmente a microcirculação; não desenvolve precocemente à catarata, não lesa células sadias e estabiliza a doença.

 

Saiba mais:

Retinopatia diabética: sintomas, causas e tratamentos

Olhos vermelhos e doenças no fígado

O truque de colocar as rodelas de pepino nos olhos funciona?

Lidando com a perda de visão

Conheça os perigos de usar óculos de sol falsificados

Óculos de grau: como escolher seus óculos

Alergia nos olhos: entenda porque acontece


DEIXE UMA RESPOSTA