[the_ad_group id="16401"]
Especialidades > Guia do Câncer

Novo tratamento aumenta sobrevivência em casos de câncer de colo do útero

Por Redação Doutíssima 14/04/2014

sobrevivência em casos de câncer de colo do útero

Um novo tratamento desenvolvido e testado em um hospital de Barcelona melhora a ssobrevivência em casos de câncer de colo do útero e reduz 30% a taxa de mortalidade por esse tipo de tumor.

A oncologista ginecológica e coordenadora do estudo, Ana Oaknin, explicou à Agência Efe que os cientistas compararam “a eficácia do tratamento padrão baseado em quimioterapia com outro” ao qual acrescentaram “um novo agente, um anticorpo monoclonal, que inibe a angiogênese”, ou seja, a formação de novos vasos sanguíneos e o crescimento dos tumores.

A pesquisa, publicada hoje pela revista “The New England Journal of Medicine”, marca, segundo a cientista, a primeira vez que um tratamento médico consegue prolongar a sobrevivência dessas pacientes mais de 12 meses.

 

Sobrevivência em casos de câncer de colo do útero – o tratamento

Segundo Oaknin, o novo tratamento aumenta em 4 meses a sobrevivência em casos de câncer de colo do útero em uma doença que tem uma incidência baixa mas que afeta sobretudo a mulheres de entre 30 e 40 anos.

O estudo foi realizado com uma amostra de 452 pacientes com câncer de colo do útero em 164 hospitais americanos e espanhóis.

Segundo Oaknin, “até 2009, ano em que começou o teste clínico, era muito difícil que essas pacientes vivessem mais de um ano, mas conseguimos prolongar sua sobrevivência 17 meses”.

Uma das pacientes que já provou o novo tratamento é Stania García, que contou à Efe que após receber o anticorpo se sente “bem, em geral com muita energia” e que pode “sair de casa, correr e passear”.

“Me sinto muito melhor, porque com o tratamento anterior estava muito cansada”, compara a paciente.

O câncer de colo do útero é diagnosticado a cada ano em cerca de 500 mil mulheres no mundo, das quais a metade morre, 90% delas nos países em desenvolvimento.

Até agora, quando fracassava o tratamento padrão (cirurgia em estágios iniciais e uma combinação de quimioterapia e radioterapia em estágios avançados), as pacientes com câncer de colo do útero tinham como única opção a quimioterapia convencional, mas sua sobrevivência era de aproximadamente um ano.

Embora o câncer de colo de útero seja a principal causa de morte em mulheres jovens, as taxas desse tipo de doença nos países desenvolvidos diminuíram drasticamente graças ao rastreamento que se realiza através de citologia (estudo das células) e dos teste de vírus do papiloma humano (HPV).

 

Saiba mais:

Campanha valoriza autoestima no casamento do câncer de mama

Consumo elevado de proteínas de origem animal aumenta risco de morte por câncer e diabetes

Mutação de vírus da hepatite pode estar ligada a câncer de fígado

Mortalidade por câncer cresce mais no interior

Oncofertilidade: uma nova possibilidade para ter filhos após o câncer

Vitamina C injetável ajuda no tratamento contra o câncer

Mito ou verdade: tratamento para colesterol alto pode causar câncer


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]