[the_ad_group id="16401"]
Dica do Nutricionista

Descoberta da Irisina: luz sobre a obesidade, o diabetes e outras doenças. Exercício em cápsulas?

Por Dr. Adolfo Duarte 22/04/2014

Airisina, um hormônio produzido pelos músculos em sua resposta adaptativa aos exercícios, pode  qcontribuir para o tratamento de doenças. Entenda como isso funciona.

irisina

Desde o início do ano fomos agraciados com a notícia da descoberta desta nova substância, a irisina, um hormônio produzido pelos músculos em sua resposta adaptativa aos exercícios que promove a queima da gordura e uma melhora da resistência periférica à insulina. É uma substância sinalizadora. Mensageira. Por isso o nome que remonta à deusa grega Íris.

Sua descoberta foi anunciada pelo Dr Bruce Spiegelman, do Dana-Farber Cancer Institute, em Boston, Massachusetts. Em pesquisa com ratos, sua equipe foi capaz de perceber o potencial da substância para o emagrecimento e para a regulação do metabolismo glicídico, o que pode levar a novos tratamentos em áreas como obesidade, diabetes, dislipidemias e, até mesmo, doenças como o mal de Parkinson.

Esta mesma equipe conseguiu sintetizar a substância, tendo realizado uso com sucesso em ratos. Os pesquisadores observaram a capacidade desta substância induzir a mudança da gordura branca (pouco ativa metabolicamente) para gordura marrom (de grande atividade termogênica, ou de queima). Isso levou a uma perda de gordura mesmo na ausência de exercícios e/ou dieta nos ratos submetidos à pesquisa.

Irisina “amarronzando” a gordura

Aparentemente, outras substâncias ou situações podem, também, levar à liberação da irisina, mas isso ainda não está bem determinado.

OK. Beleza. É fato que esta descoberta é fantástica e nos leva a um melhor entendimento da fisiologia do exercício. É verdade, também, que pode nos levar ao desenvolvimento de novos e revolucionários tratamentos para as doenças acima citadas. Muito bom. Eu concordo 100%. Só vejo um pouco de problema na idéia de se criar “exercícios em cápsulas”, como alguns estão sugerindo por aí.

A realização de exercícios físicos envolve um enorme número de fatores comportamentais, que vão desde o interesse em si pela atividade até a execução em si. Não é, costumeiramente, para um adulto que trabalha, um processo simples. São muitas as barreiras para se transpor e muitas, também, as necessidades de organização e disciplina para levar adiante um programa eficiente de atividade física.

Dito isso, podemos pensar assim:

“Então não é bem melhor ter um comprimidinho que resolva tudo isso pra mim, sem a necessidade de tanto esforço?”

A resposta é não.
Um medicamente que venha a gerar resultados similares aos de um exercício físico será fantástico para tratar doenças e auxiliar pacientes em processo de reabilitação. Para estas pessoas, um recurso como este pode se tornar, simplesmente, fundamental. No caso de um indivíduo que não tenha a necessidade específica de algo assim, este recurso vai se tornar, no mínimo, moralmente lesivo, pois tira do mesmo a oportunidade de lutar pelo seu resultado e de passar por todas as ricas vivências que o levariam ao sucesso. O ser humano precisa de desafios! Cada pessoa precisa mostrar, pra si mesma, que é capaz de alcançar seus objetivos!

Veja que não estou, de forma alguma, tirando o mérito da descoberta, que é fabulosa. Só me incomoda muito o fato de ver, sugerido por aí, que seria interessante ter um “exercício em cápsulas”. Será que já não basta o fato de usarmos o carro pra ir pra cima e pra baixo, reduzindo o contato humano, fato também garantido pela própria “falta de tempo” auto-imposta que vivemos em prol de “resultados”, que quase sempre envolvem o ganho de dinheiro para pagar contas? Será que não é muito mais interessante nos esforçarmos para readequar nossas vidas de forma a incluir uma rotina saudável de exercícios e alimentação, fatores que só nos levam ao crescimento pessoal e ao aumento do nosso conhecimento?

Eu espero que não peguemos este caminho de imediatismo “moderninho” e busquemos uma vida onde os resultados positivos continuem dependendo da nossa dedicação. Que as descobertas sobre a irisina nos tragam cada vez mais luz sobre a compreensão do metabolismo durante exercícios e que nos ajude a gerar alternativas de tratamento para inúmeras doenças. Fantástico! Que fique restrito a benefícios deste tipo. Fantástico também!

Procure seu médico, seu nutricionista, seu personal trainer. Programe-se para começar um programa de exercícios regular e acompanhado. Você verá quanta felicidade e saúde irá alcançar!

Vamos nos esforçar!

Suemos!

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!

 

 

Saiba mais:

Metformina para emagrecer? Saiba quais são os riscos do uso deste medicamento para perder peso

França autoriza o uso do medicamento Baclofeno para tratar o alcoolismo

Top 5 dos medicamentos para transtorno bipolar

Idosos com mais de 80 anos consomem duas vezes mais medicamentos

Como agir em caso de ingestão abusiva de medicamentos

Quais medicamentos devemos ter em casa

Saiba mais sobre a haloterapia


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]