A carne está entre os alimentos mais consumidos diariamente. Quem não gosta de um churrasco ou um filezinho grelhado? Seja ela branca ou vermelha, a carne tem excelente valor nutritivo e é rica em proteínas. A melhor carne depende não só do paladar, mas das necessidades do organismo de cada um. O importante é não exagerar para manter uma dieta saudável.

Elas são ricas tanto em proteínas, quanto em minerais, zinco, ferro, potássio, cobre e fósforo. Contêm boas doses de vitamina B12 (exclusiva em alimentos de origem animal), e de vitaminas do complexo B (B3, B5 e B6).

a melhor carne
Fique atento! A melhor carne para uma dieta saudável será sempre a magra. Foto: Shutterstock

De acordo com as propriedades, você pode escolher a melhor opção entre frango, boi e porco. E ainda, optar por consumir a melhor carne em termos de calorias e valor nutritivo.

A melhor carne, sem exageros

Recomenda-se o consumo diário de proteínas em torno de 10 a 15% do Valor Energético Total (VET), variando de pessoa para pessoa. Para uma dieta saudável, a melhor carne é a ingerida numa porção de 100 gramas diárias.

No Brasil, um dos maiores consumidores do mundo, em 2011, consumiu-se em média 47 kg de frango, 15 kg de porco, e 35 kg de gado. Isso representa um aumento de 7,5%, 7% e 9% respectivamente, se comparado a 2010.

Ricas em gorduras saturadas, as carnes (alimentos de origem animal) aumentam os níveis de colesterol ruim (LDL) no organismo. Então, todo o cuidado é pouco, em especial quanto aos riscos de problemas no coração. O consumo indicado, principalmente da gordura encontrada na pele do frango e na das carnes vermelhas, é de, no máximo, dois gramas por dia.

Não importa somente escolher a melhor carne, porque se você comer demais pode prejudicar seu organismo. O excesso de consumo de carnes vermelhas pode facilitar o aumento do colesterol e problemas cardíacos. Tudo isso devido ao elevado teor de gordura saturada.

Já a falta da carne pode causar visíveis danos à saúde. Isto pode gerar consequências como a perda de massa magra, enfraquecimento das unhas, cabelo, e má regeneração dos tecidos.

Faça a escolha certa

Apesar de não prevenirem nenhum tipo de doença, as carnes ajudam no bom funcionamento do organismo e são recomendadas a todas as idades. São fontes importantes de proteína, atuam no crescimento, regeneração e renovação de diferentes tecidos do corpo, como ossos, músculos e pele. Vem daí a importância de se escolher a melhor carne.

Elas contribuem ainda para a produção de hormônios, como a insulina e enzimas digestivas. Também trazem benefícios ao sistema imunológico e no ganho de massa magra. Não importa se carne de boi, frango ou peixe, mas desde que preparada de forma adequada, sem frituras ou excesso de gorduras. A melhor carne para uma dieta saudável será sempre a magra.

A dica de preparo é importantíssima, inclusive quanto à quantidade de sal, que pode contribuir para o aumento da pressão arterial e do colesterol. É preciso prestar atenção também quanto ao cozimento. O processo pode favorecer a desnaturação das proteínas dos músculos e de suas ligações. Isso deixa as proteínas mais disponíveis para as enzimas digestivas. As melhores carnes são assadas, grelhadas ou cozidas, utilizando pouca ou nenhuma gordura no preparo.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!

 

Saiba mais:

Dez alimentos que ajudam na digestão

6 Verdades e mentiras sobre o leite

Alimentos que curam: veja como uma alimentação simples e natural pode ajudar a restabelecer a saúde de pessoas e animais

Problemas digestivos: Saiba como prevenir e tratar a gastroenterite viral

Gastroenterite: aprenda 7 dicas para evitar a gastroenterite e parar de sofrer

Aprenda a identificar os sintomas da apendicite e evite que o problema se agrave ainda mais

Entenda a salmonela (diarreia intensa)


DEIXE UMA RESPOSTA