[the_ad_group id="16401"]
Clínica Geral

Menopausa precoce: quais são as suas causas e como reagir

Por Redação Doutíssima 31/08/2014

A menopausa é uma consequência normal do envelhecimento feminino e que, normalmente, chega na vida da mulher entre os 40 e 60 anos de idade. Acontece que, para algumas mulheres, isso acontece de forma muito antecipada: estima-se que aproximadamente uma a cada 20 mulheres sejam afetadas pela menopausa precoce.

Essa condição, que deve ser encarada como um problema, traz diversos riscos e prejuízos ao organismo feminino. Como há uma redução na produção de determinados hormônios, as mulheres podem enfrentar perturbações como insônia, dores de cabeça e depressão. Além disso, estudos indicam que ela aumenta as chances de ataques cardíacos, AVC e osteoporose.

menopausa-precoce

Mudanças de humor, irritabilidade e ansiedade podem indicar menopausa precoce. Foto: Shutterstock

Você sabe quais são as causas da menopausa precoce e como fazer para lidar com essa condição? Confira um pouco mais abaixo.

As causas da menopausa precoce

A menopausa é a etapa da vida da mulher em que ela deixa de menstruar e ocorre em razão da diminuição gradual do hormônio estrógeno, que é liberado pelos ovários. Considera-se que há menopausa quando a mulher deixa de menstruar por um ano. Esse é o ciclo normal.

No entanto, é possível que esse ciclo normal seja antecipado, e isso pode ser explicado por uma série de fatores. Por exemplo, a retirada dos ovários e o tratamento do câncer através de rádio ou quimioterapia são duas causas que podem antecipar a menopausa.

Além disso, ela pode ter componentes hereditários – pesquisas indicam que filhas de mães que tiveram menopausa precoce correm um risco 12 vezes maior do que aquelas que não tiveram, da mesma forma que o uso do tabaco e a epilepsia aumentam o perigo de sua ocorrência.

Como identificar

Cerca de 85% das mulheres apresentam sintomas em razão da antecipação da chegada da menopausa – ou seja, dificilmente esse problema chegará sem dar sinais. Os sintomas são gradativos e podem incluir:

– Períodos menstruais irregulares;

Sudorese noturna;

Insônia;

– Alterações de humor, como irritabilidade, ansiedade ou depressão;

Ressecamento vaginal;

Dor durante a relação sexual;

Pele seca;

– Diminuição do apetite sexual.

Tratamento para a menopausa precoce

Antes de pensar em tratar a menopausa precoce, é preciso diagnosticá-la com precisão. E isso por um motivo bem simples: a ausência de menstruação pode ter outras causas.

Não menstruar é sintoma, por exemplo, da perda extrema de peso, da gravidez e das alterações hormonais, além de possuir relação com algumas outras doenças do aparelho reprodutor feminino. Ou seja, se você deixou de menstruar não significa que tenha tido esse momento inevitável antecipado.

Como já esclarecemos acima, as mulheres que sofrem com a menopausa precoce estão expostas a muitos riscos e transtornos causados pela produção irregular do estrogênio. Por isso, o tratamento é importantissimo.

Normalmente, há um foco de reposição hormonal, além de um aporte extra de cálcio, o que pode diminuir o risco da aparição também precoce da osteoporose e dos problemas cardíacos – mas pode ser necessário o uso de outros medicamentos para tratar sintomas específicos, conforme o caso.

Se você está apresentando alguns dos sintomas, não pense duas vezes em procurar um médico, fazer um diagnóstico preciso e, se for o caso, começar um tratamento.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]