Unhas

Unhas fracas podem ser um indicativo de anemia. Saiba mais!

Por Redação Doutíssima 16/10/2014

Mais percebidas pelas mulheres do que pelos homens, as unhas podem ser muito úteis na sinalização de disfunções no organismo. A partir de modificações na aparência, é possível detectar algumas doenças. A anemia é uma delas, através das unhas fracas.

unhas-fracas

Problemas nas unhas costumam sinalizar disfunções do organismo. Foto: iStock, Getty Images

O aspecto frágil e quebradiço das unhas pode ser indício da diminuição de glóbulos vermelhos no sangue, sobretudo quando outros sintomas – como fraqueza, palidez, dor de cabeça, fadiga e tontura – são percebidos ao mesmo tempo. Pessoas anêmicas costumam ter unhas fracas por conta da má oxigenação e da falta de nutrientes inerentes ao problema.

 

Relação entre anemia e unhas fracas

 

Ainda assim, unhas fracas não são os únicos indicativos de anemia. Manchas esbranquiçadas, descamações e aparência ondulada podem igualmente demonstrar deficiência de ferro ou outros elementos indispensáveis ao organismo.

 

A unha é um tecido morto formado por diversas camadas de queratina, sendo a matriz – isto é, a parte inserida à pele – a única capaz de ser beneficiada pelas vitaminas e minerais que circulam pelo corpo.

 

Para combater o efeito das unhas fracas causado por anemia é preciso, antes de tudo, tratar a origem do problema. A ingestão de carnes vermelhas, castanhas, feijão, couve, camarão, leite e derivados, ovos, banana e ameixa, por exemplo, é um meio de lidar com as carências nutricionais do metabolismo.

 

Em alguns casos, a anemia só é curada quando o indivíduo conjuga alimentação adequada e medicamentos complementares. Portanto, ao perceber que o incômodo das unhas fracas possa estar ligado a episódios de anemia, o ideal é que se procure orientação médica para precisar o grau e as melhores formas de impulsionar os níveis orgânicos.

 

Conforme a definição da Organização Mundial de Saúde (OMS), a anemia é uma condição em que a hemoglobina está abaixo do normal devido à deficiência de um ou mais nutrientes, que variam entre ferro, zinco, vitamina B12 e proteínas.

 

A maior parte das anemias, entretanto, é causada por deficiência de ferro. Nestes casos, o problema é chamado de Anemia Ferropriva, forma que responde por 90% dos registros de anemia.

 

Como resolver o problema das unhas fracas

 

Depois de remediada a raiz do problema, pode-se então manter alguns cuidados para que as unhas não fiquem frágeis e lasquem. Para fortalecer unhas fracas, a primeira medida é reforçar a vitamina D no organismo. Isso se consegue com a exposição ao sol da manhã – só até às 10 horas – ou a partir do uso de suplementos.

 

Nas unhas, para hidratá-las, o segredo é aplicar óleo de cravo-da-índia. As bases com formol, por sua vez, têm o poder de endurecê-las e conservá-las. Por fim, a dica é evitar acetonas e apostar em removedores de esmaltes, tidos como menos prejudiciais.

 

Recomenda-se, ainda, que se abra mão de esmaltes por pelo menos um dia na semana para que as unhas possam respirar e se restabelecer. Mais um cuidado que pode ser oferecido às unhas é, à noite, passar um hidratante de mãos ou um creme específico para elas.

 

Com algumas medidas básicas, suas unhas podem ficar fortes e ganhar uma aparência muito mais saudável.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


Sites parceiros