Especialidades

Conheça as principais diferenças entre fisioterapia e terapia ocupacional

Por Redação Doutíssima 19/10/2014

Trabalhando em áreas semelhantes e voltadas ao tratamento de situações parecidas,  fisioterapia e a terapia ocupacional são facilmente confundidas. Ainda que muitas pessoas recorram diariamente ao auxílio das duas áreas, podem não saber a diferenças entre fisioterapia e terapia ocupacional, tampouco quando recorrer aos seus serviços.

diferença-entre-fisioterapia-e-terapia-ocupacional

Áreas atuam na prevenção, na cura e na reabilitação da capacidade física. Foto: iStock, Getty Images

Saiba as diferenças entre fisioterapia e terapia ocupacional

As diferenças entre fisioterapia e terapia ocupacional é que, embora semelhantes, ambas trabalham de forma complementar. Isso é o que explica a consultora e fisioterapeuta dermato-funcional Juliana Del Debbio.

Segundo ele, enquanto o terapeuta ocupacional trabalha com atividades humanas, planeja e organiza o cotidiano, possibilitando assim uma melhor qualidade de vida, a fisioterapia é uma ciência da Saúde que estuda, previne e trata distúrbios cinéticos funcionais em órgãos e sistemas do corpo humano, gerados por alterações genéticas, por traumas e por doenças adquiridas.

“O fisioterapeuta trabalha com recursos físicos, voltados à promoção, prevenção, tratamento e recuperação de pessoas que apresentem alterações do movimento. Visando o bom funcionamento do corpo, desde as funções básicas de respiração até as funções mais complexas, que envolvem vários sistemas do corpo”, resume.

Ainda falando sobre a diferenças entre fisioterapia e terapia ocupacional,Juliana conta que o fisioterapeuta atua na prevenção, cura ou reabilitação da capacidade física das pessoas, em qualquer idade.

Isso faz com que a área seja indicada em vários casos, como doenças reumatológicas, ortopédicas, problemas neurológicos, cardíacos, respiratórios, ginecológicos e relativos à atividade de trabalho ou de esporte.

Para ela, a complementariedade de ambas as funções se dá necessidade de auxiliar no processo de reabilitação do paciente após uma doença, um acidente e outras condições.  “As atuações destes dois profissionais são diferentes, mas o complemento de uma é fundamental à outra para que haja a perfeita reabilitação do paciente com foco na sua readaptação”, esclarece Juliana.

Diferenças entre fisioterapia e terapia ocupacional na visão do terapeuta

Para Clori Araujo Pinheiro, presidente da Associação Brasileira dos Terapeutas Ocupacionais (Abrato), ambas as profissões são estratégicas para a qualidade de vida da população, mas com domínios distintos enquanto disciplina e prática profissional.

Segundo ele, a diferenças entre fisioterapia e terapia ocupacional aparece no fato de que o terapeuta enfoca o desempenho nas ocupações que levam o cliente, grupos ou comunidades a uma interação dinâmica, com ambientes e contextos da realização dessas ocupações.

Outro elemento de diferenciação é que nossa formação, por sua característica holística, nos permite participar de um leque muito abrangente de ações nas diferentes políticas públicas”, diz.

Pinheiro explica que a terapia ocupacional busca apoiar a saúde e a participação autônoma e independente na vida cotidiana nas diferentes ocupações, seja a adaptação ao mercado de trabalho, superar as vulnerabilidades sociais ou reconstruir projetos de vida.

“Nosso foco é a adaptação das pessoas a novas condições de sua vida, independente da origem dos problemas. Casos recomendados? Todas as situações em que a pessoa precisar de apoio para o desempenho de suas tarefas e papéis cotidianos dentro dos eixos das áreas de desempenho”, explica.

Além das diferenças entre fisioterapia e terapia ocupacional, Pinheiro destaca o trabalho conjunto entre as áreas. “A interdisciplinaridade é fundamental ao êxito dos projetos de intervenção”, afirma.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


Sites parceiros