Clínica Geral

Exames de laboratório: Que doenças eles podem identificar

Por Redação Doutíssima 23/10/2014

É comum, ao se visitar um médico, que exames de laboratório sejam solicitados para identificar possíveis alterações no organismo. Mas, afinal, o que é possível detectar com este tipo de procedimento?Bom, a resposta depende de cada caso. Muitas doenças podem ser encontradas em seus estágios iniciais com essa medida.

exames-de-laboratório

Exames ajudam a combater enfermidades de forma adiantada. Foto: iStock, Getty Images

Os mais comuns exames de laboratório

 

Quando se fala em exames de laboratório, um dos mais rotineiros é o hemograma – o famoso exame de sangue. Ele pode diagnosticar uma série de doenças e deficiências do organismo, e é comum nos pedidos de qualquer médico.

 

Entre os exames de laboratório, também é comum a solicitação de fator Rh. A maior importância desse exame está relacionada às transfusões de sangue e, portanto, os bancos de sangue devem determiná-la com toda a precisão.

 

Fezes e urina também são exames de laboratório solicitados com frequência. As fezes analisadas em laboratório servem para detectar a presença de parasitas que vivem no aparelho digestivo, sob a forma de ovos, cistos ou do próprio parasita.

 

Já na análise da urina é possível analisar os aspectos físicos, químicos e análise do sedimento, que fornecem inúmeras informações do funcionamento do rim e também de outros órgãos internos. É possível, através da urina, detectar o uso de drogas e de outras substâncias.

 

Doenças que podem ser detectadas com exames de laboratório

 

A hepatite B é uma das doenças em que é preciso recorrer ao laboratório para um diagnóstico preciso. Não é possível identificar o agente etiológico sem os agentes sorológicos e de biologia molecular específicos, o que determina o tipo de tratamento que será feito de acordo com a doença.

 

Temido por todos, o HIV só pode ser detectado com exame de sangue feito em laboratório. Causador da AIDS, que afeta o sistema imunológico, o vírus representa um dos maiores problemas de saúde em função da gravidade e pelo caráter pandêmico.

 

Além da AIDS, outra doença sexualmente transmissível que precisa de exames de laboratório para definição de diagnóstico é a sífilis. A patologia tem duas formas: sífilis recente e tardia.

 

A recente é constatada com uma lesão inicial, o cancro duro com linfadenopatia regional auto-limitada, que aparece 2 a 6 semanas após a contaminação e que desaparece em cerca de 4 semanas, sem deixar cicatrizes, mesmo sem tratamento.

 

Já a sífilis tardia é caracterizada por um período latente e sem sintomas, e o seu tratamento só pode ser feito após a detecção da doença. Se não for encontrada a tempo, a sífilis do tipo tardio pode até mesmo levar à morte.

 

Outro exame simples e que pode ser muito útil em termos de diagnóstico é a glicemia. Um dos exames mais solicitados no laboratório, tem sua máxima utilidade no diagnóstico, tratamento e acompanhamento de casos de diabetes.

 

 


Sites parceiros