[the_ad_group id="16401"]
Gestante

Veja quais são os riscos da drenagem linfática na gravidez

Por Redação Doutíssima 19/12/2014

Algumas mulheres, durante a gravidez, adquirem aspecto inchado, que se deve à retenção de líquidos. Com a evolução da gestação e o aumento do peso, a retenção pode passar a ser um problema e causar grande desconforto à gestante. Para resolver, uma alternativa é a drenagem linfática na gravidez.

 

Trata-se de uma técnica muito utilizada de massagem que ajuda a direcionar os líquidos para que sejam eliminados pelos gânglios. Porém o procedimento exige alguns cuidados.

 

drenagem linfática na gravidez

Procedimento pode ser benéfico, mas é preciso redobrar os cuidados. Foto: iStock, Getty Images

 

Drenagem linfática na gravidez de forma correta

A drenagem linfática na gravidez, quando feita de forma correta e segura, pode trazer diversos benefícios para a mãe e para o bebê. Aconselha-se que ela seja feita apenas a partir das 12 semanas de gestação ou após avaliação e liberação pelo médico que acompanha a grávida.

 

A indicação é que a gestante faça a massagem apenas com fisioterapeutas especializados. O procedimento mal executado pode trazer diversos riscos, como hematomas, dores, vermelhidão na pele, varizes, agravar quadros de celulite e piora da circulação sanguínea.

 

Mas as consequências podem ser ainda mais graves do que as citadas acima se a drenagem linfática na gravidez for executada por pessoas despreparadas. O movimento manual desta massagem pode estimular as contrações e provocar um parto antes da hora, a partir do sexto mês de gestação, fazendo o bebê nascer prematuro.

 

Pode ainda favorecer um aborto para gravidez antes dos três meses. Por isso, a palavra-chave para as futuras mamães que desejam fazer é cautela.

Drenagem linfática na gravidez beneficia o bebê

Contudo, quando a drenagem linfática na gravidez é bem executada, por profissionais habilitados e em um local seguro, pode trazer diversos benefícios para mãe e bebê. A massagem ajuda a eliminar os líquidos e diminuir a sensação de peso, além de relaxar a musculatura.

 

A drenagem ainda melhora a circulação sanguínea, ajudando a prevenir estrias e celulites e ainda estimula as mamas para a lactação que ocorre em seguida.Com a diminuição das toxinas e líquidos, o procedimento ajuda a desinchar especialmente as pernas e consequentemente, acabar com a sensação de pernas pesadas e a fadiga.

 

A técnica ainda ajuda a aliviar as tensões, já que a explosão de hormônios que ocorrem durante a gestação, deixam a mulher mais estressada. Mas, aconselha-se que a região da barriga não seja massageada. O profissional que irá executar a massagem sempre deve ser avisado da sua condição.

 

A drenagem linfática não é aconselhada para grávidas com hipertensão, insuficiência renal, trombose venosa profunda, infecções de pele e erupções cutâneas. Mesmo que não tenha problemas de saúde, um médico sempre deve ser consultado sobre fazer ou não o procedimento.

 

O profissional de saúde também irá lhe aconselhar sobre o melhor período para iniciar suas sessões de massagem. A drenagem linfática na gravidez pode ser uma grande aliada também depois do parto também.

 

O procedimento ajudará na eliminação dos líquidos e também possibilitará que a mamãe volte à forma mais rapidamente. A massagem estimula o metabolismo, por isso é importante nos processos de emagrecimento, além de eliminar toxinas e as indesejáveis celulites.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]