[the_ad_group id="16401"]
Especialidades

Saiba o que é e como age o vírus respiratório sincicial em bebês

Por Redação Doutíssima 26/12/2014

Um dos principais causadores de infecções respiratórias e problemas de pulmão em crianças pequenas e recém-nascidos, o vírus respiratório sincicial é causador de doenças como a bronquiolite.

 

Essa doença é uma infecção que acontece nos brônquios, pequenos tubos respiratórios do pulmão, podendo causar cianose (coloramento azul das mãos e dos lábios), pneumonia e desidratação.

vírus respiratório sincicial

Cuidados básicos de higiene estão entre a prevenção e tratatamento. Foto: iStock, Getty Images

 

Sintomas do vírus respiratório sincicial

O vírus é transmitido através do contato de uma criança com as secreções do nariz, da boca ou gotículas de outra.

 

O contágio maior acontece já nos primeiros dias da infecção, sendo que o período de incubação do vírus pode variar entre 2 e 8 dias. É mais comum a transmissão do vírus respiratório sincicial durante o inverno e no começo da primavera.

 

Nas crianças maiores, a manifestação do vírus ocorre de forma leve, podendo ser confundida com um resfriado. Já nos bebês, menores de 2 anos, os sintomas são os da bronquiolite e requerem atenção.

 

No começo, aparece corrimento nasal, tosse e, possivelmente, febre. Mais tarde, pode ficar difícil para a criança respirar, causando chiados na hora da expiração. Dificuldade para mamar também acontece devido à respiração dificultada. A cor azul nos dedos e nos lábios pode ser um sintoma de que o corpo não está sendo oxigenado corretamente.

 

Para tratar essa infecção pelo vírus respiratório sincicial, os medicamentos como antibióticos não são eficientes, já que servem para tratar bactérias. O tratamento em casa é o mais recomendado.

 

Após uma consulta com o pediatra, certifique-se de manter a criança bem hidratada e recebendo leite materno. Alguns remédios com fórmulas infantis podem ajudar na congestão nasal.

 

Vírus respiratório sincicial em prematuros

O principal cuidado para a não contaminação com o vírus respiratório sincicial é na higiene. Devido ao seu alto potencial de contágio, lavar sempre as mãos e tomar cuidados de manter um ambiente limpo são muito importantes para evitar a contaminação, que se dá principalmente de pessoa para pessoa.

 

Devido a isso, são as mães que devem cuidar dos filhos e mantê-los seguros e limpos. Como os prematuros têm a imunidade menor e, em geral, um peso mais baixo, é possível que eles se contaminem com maior facilidade, devido à condição mais frágil. Por isso, o cuidado com a limpeza das mãozinhas e dos pés é fundamental para que eles se mantenham longe do vírus.

 

Prevenção do vírus vem com a higiene

Como não há um tratamento certo para o vírus respiratório sincicial, os hábitos higiênicos são muito importantes para evitar a contaminação. Em bebês prematuros ou com problemas de coração, a doença causada pelo vírus respiratório sincicial pode ser fatal.

 

Também podem ser contaminadas crianças com mais de 2 anos e adultos, porém para estes o problema costuma ser mais leve, como na manifestação de uma gripe. Já com os idosos, o caso é mais grave, tendo complicações semelhantes com as dos bebês. Se não for tratado adequadamente, o vírus pode evoluir e provocar doenças sérias.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]