[the_ad_group id="16401"]
Gestante

Alimentação na gravidez: o que incluir no cardápio

Por Redação Doutíssima 10/01/2015

A alimentação na gravidez é cercada de mitos e verdades. Por conta disso, muitas mamães de primeira viagem enfrentam problemas na hora de consumir comidas saudáveis durante o período de gestação e amamentação.

 

Alimentação na gravidez varia

 

O apetite é oscilante, muda conforme a mulher e a fase da gravidez. Nas primeiras semanas é normal que a fome diminua por conta dos enjoos. Já no terceiro trimestre da gestação, a fome tende a aumentar e é aí que se deve ter ainda mais cuidado com a alimentação, pois a azia e a má digestão são comuns nesta fase.

alimentação na gravidez

É importante estar atenta ao consumo dos principais nutrientes para o bebê. Foto: iStock, Getty Images

Durante toda a gravidez, o seu corpo irá trabalhar de maneira diferente, consumindo mais energia e calorias. Mas, não é por isso que você deve comer mais ou “por dois”, o ideal é trocar doces e guloseimas por alimentos ricos em nutrientes, proteínas e vitaminas. Esses componentes ajudam no desenvolvimento do bebê e do seu corpo.

O que não pode faltar na alimentação na gravidez

 

É importante que a alimentação na gravidez seja equilibrada e composta por diversos nutrientes. Cada uma das substâncias tem um papel na formação do feto, e são essenciais para sua saúde antes e depois do nascimento.

Na alimentação na gravidez o prato deve ser o mais colorido possível, e as refeições realizadas a cada três horas, porém, em pequenas porções. O mais recomendado é procurar um nutricionista que indicará o cardápio ideal para cada mamãe, contudo separamos algumas dicas para as gestantes.

O ácido fólico é essencial na formação do sistema nervoso central do bebê. Sua ingestão nos primeiros três meses de gestação é fundamental. É encontrado em frutas cítricas, cereais e verduras de cor verde escuro, como o espinafre, o brócolis e a couve).

Já o cálcio é componente que deve estar presente no cardápio diário de uma grávida. Ele ajuda na formação dos ossos e dentes, previne a coagulação do sangue e controla os batimentos cardíacos. O nutriente está disponível no leite, no iogurte e em frutas como o figo.

Responsável pela formação dos nódulos vermelhos do sangue e por produzir energia e crescimento, o ferro é também indispensável na dieta da grávida. É importante não consumir o ferro ao mesmo tempo do cálcio, pois o organismo não consegue absorver plenamente as duas substâncias paralelamente. Está nas carnes vermelhas, feijão, ovos e verduras.

Além dos nutrientes citados acima, a alimentação na gravidez também deve ser composta de itens com vitaminas A, B2, B3, C e D; magnésio; carboidratos; lipídeos; fósforo; potássio; iodo; e zinco.

O que evitar

 

 

Uma gestante pode comer de tudo, porém alguns coisas devem ser evitadas na alimentação na gravidez. Alimentos crus, por exemplo, podem conter bactérias que prejudicam o desenvolvimento do bebê.

Por isso, se você estiver grávida, evite comer peixes crus, carnes vermelhas mal passadas, queijos de casca branca e o “minas”. Bebidas que contenham excesso de cafeína ou alcoolicas também precisam ficar fora da dieta.

Em caso de alergia a alguns tipos de alimentos, ou histórico de alergias na família a nozes, castanhas, ou outros, evite consumi-los.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]