[the_ad_group id="16401"]
Guia do Câncer

Câncer de pele: saiba reconhecer o limite ao se bronzear

Por Redação Doutíssima 08/02/2015

Atualmente, o câncer de pele é o tipo de tumor mais incidente na população, representando mais da metade dos diagnósticos de câncer. São mais de 120 mil novos casos por ano no Brasil.

cancer de pele

A exposição excessiva aos raios solares é prejudicial à saúde da pele do corpo. Foto: iStock, Getty Images

Esse dado preocupante deve chamar a atenção de quem se expõe ao sol com frequência e sem proteção para conquistar aquele desejado bronzeado.

Só que, por mais desejada que seja pelas mulheres, a pele bronzeada é sinônimo de pele queimada, suscetível a manchas, envelhecimento e câncer de pele. É por isso que se bronzear é contraindicado, mesmo que se use protetor solar.

Apesar das contraindicações médicas de se bronzear, é no verão que esta prática ganha força. Muitas pessoas ainda se arriscam a pegar uma cor, mesmo com a possibilidade de ter mais queimaduras do que o bronze propriamente dito.

Além disso, com as férias, muitas pessoas aproveitam para ir à praia. Assim, para se proteger do sol, recomenda-se passar filtro solar em todo o corpo, inclusive nas orelhas, mãos e pés, 30 minutos antes de ficar no sol.

Junto ao protetor solar, é indicado o uso de roupas cujo tecido tenha proteção solar, peças conhecidas como U.V line, além de chapéus e óculos que protegem contra os raios solares.

 

Cuidados pós sol para se prevenir do câncer de pele

O horário mais seguro para se pegar sol é pela manhã, até às 10h, e no final da tarde, após às 16 horas. Nos horários mais quentes do dia, entre às 9 e às 16 horas, há uma maior emissão dos raios ultravioletas, principais responsáveis por causar o câncer de pele e, assim, não é recomendado se expor ao sol neste horário.

Além da aplicação do protetor solar 30 minutos antes da exposição ao sol, dermatologistas orientam que o produto seja reaplicado sempre depois de um mergulho e de suar muito. A recomendação vale tanto para pessoas de pele clara, como de pele morena, amarela e negra.

Ao final do dia, é importante tomar banho utilizando água fria e uma pequena quantidade de sabonete líquido para peles secas. Também é indicado o uso de loção pós-sol e de hidratante para acalmar a pele, hidratar e evitar uma possível descamação.

 

Bronzeado e câncer de pele 

Não existe bronzeamento saudável. Ao se expor ao sol em abundância, você pode estar envelhecendo a pele precocemente ou se preparando para ter um câncer de pele. A ação dos raios solares provoca envelhecimento precoce ou dano à estrutura do DNA, que pode acarretar na formação do câncer.

De acordo com dermatologistas, é impossível proteger a pele dos danos dos raios solares. O mais indicado é que as pessoas mantenham o tom de pele natural. Além do envelhecimento da pele e do risco de câncer de pele, a exposição ao sol pode provocar o aparecimento de manchas em todo o corpo.


A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) proibiu o uso de camas de bronzeamento artificial devido aos riscos de câncer. Qualquer bronzeamento artificial que utilize luz ultravioleta é contraindicado, podendo ser ainda mais prejudicial à pele do que a própria exposição ao sol sem proteção.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]