Fitness

Defesa pessoal às mulheres de todo Brasil : Em março, a Federação Sul Americana de Krav Maga terá treinos gratuitos

Por Redação Doutíssima 01/03/2015

Mulheres de todo o país, praticantes ou não praticantes desta modalidade de defesa pessoa poderão participar. São esperadas mais de 5 mil mulheres.

 

No mês de março, em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, a Federação Sul Americana de Krav Maga (FSAKM) vai realizar, em todo o Brasil, treinamentos gratuitos da defesa pessoal israelense, especialmente voltados para mulheres praticantes ou não dessa modalidade.

 

O objetivo é sensibilizar a mulher sobre a importância do combate á violência e mostrar que ela pode ser parte ativa da prevenção desse tipo de problema, crescente no Brasil.

 

Os treinamentos serão para mulheres de modo geral, maiores de 14 anos, independentemente de preparo físico ou habilidade para artes marciais ou esportes. “Nosso objetivo é que as mulheres percebam que ela pode se prevenir da violência, mudando a forma com que elas lidam com o medo e com sua autoestima”, afirma Mestre Kobi Lichtenstein, introdutor do Krav Maga no Brasil e fundador da FSAKM.

 

Mestre Kobi explica que, com a violência crescente, nas ruas ou mesmo dentro de casa, as mulheres precisam estar preparadas para se proteger e proteger seus filhos. “O treinamento de Krav Maga dá a essa mulher a condição psicológica e física para que ela vença o medo e seja ativa no combate à violência”, afirma Mestre Kobi.

Mulher1 (1)

Em 2014, mais de 5 mil mulheres passaram por esse treinamento e para este ano a expectativa é ainda maior. Os treinamentos acontecerão em diversos estados brasileiros simultaneamente, assim como no Peru e na Argentina, onde a FSAKM tem instrutores habilitados.

 

 

Violência contra a mulher – A violência doméstica e violência contra a mulher é pauta em todo o Mundo. O Brasil contabiliza hoje a 7ª maior taxa de homicídios femininos. A cada hora, 10 mulheres são vítimas de violência no Brasil e em 70% dos registros, o agressor é o companheiro ou o cônjuge da vítima. Outro dado crítico é que ainda hoje é baixo o número de mulheres que chegam a denunciar as agressões, por vergonha ou medo.

 

Quando se fala em defesa pessoal, se fala em direito à vida. O Krav Maga foi desenvolvido para permitir a qualquer pessoa, independentemente de força física, idade ou sexo, possa voltar em segurança para casa.

 

Por meio dos treinos, o aluno aprende a superar obstáculos físicos e mentais e se torna uma pessoa melhor em todos os sentidos: ganha coragem e confiança em si mesmo, equilíbrio emocional, muda a postura frente à vida, a si próprio e ao seu oponente.

 

Quando as mulheres descobrem que, apesar de não ter a mesma força física do homem, ela é capaz de se defender de forma simples e eficiente, com movimentos rápidos e eficientes, ela adquire confiança. “O Krav Maga mostra à mulher que ela pode fazer parte da solução para as agressões a ela e a seus filhos e, com isso, ela muda a sua postura frente ao risco”, afirma Mestre Kobi.

 

Hoje, 30% dos praticantes de Krav Maga são mulheres e há um esforço da FSAKM para mostrar ao público feminino que a pratica do Krav Maga se difere dos esportes de luta. “Trata-se de um modo de melhorar a percepção, de adquirir um comportamento mais atento nas ruas, em locais públicos ou mesmo em casa, quando há uma situação de risco com um parceiro agressor, por exemplo”, diz Mestre Kobi.

 

 

25 anos de Krav Maga no Brasil – Em janeiro de 1990, Mestre Kobi Lichtenstein, chegava ao Brasil para implementar a técnica que hoje já é praticada por civis e militares em todo o país. Mestre Kobi começou a praticar o Krav Maga aos 3 anos, com o criador desta modalidade, Imi Lichtenfeld em Israel e foi o primeiro faixa-preta de Imi a sair de Israel para difundir o Krav Maga pelo mundo.

 

Mestre Kobi se estabeleceu no Rio de Janeiro, onde fundou e hoje dirige a Federação Sul Americana de Krav Maga, a única representante oficial da modalidade no Brasil, Peru e Argentina e detentora da marca Krav Maga no Brasil.

 

Ao longo destes anos, Mestre Kobi vem realizando um trabalho extremamente sério e responsável, no intuito de manter o Krav Maga fiel à sua criação. Ainda hoje, o método de prática e de ensino da FSAKM é o mesmo criado por Imi Lichtenfeld e utilizado em Israel. Mestre Kobi supervisiona pessoalmente a prática e a divulgação do Krav Maga, mantendo o alto nível ético e técnico dos instrutores e alunos, seguindo os passos ditados por Imi.

 


Sites parceiros