[the_ad_group id="16401"]
Qualidade de vida

Dependência digital: entenda quando a tecnologia vira um vício

Por Redação Doutíssima 13/03/2015

O imediatismo proporcionado pelo mundo digital é fascinante. No entanto, a dependência digital cresceu de forma exponencial. Hoje em dia as pessoas não vivem mais sem estarem conectadas, chegando ao ponto de que a primeira pergunta que se faz ao entrar em qualquer local ou estabelecimento é a senha do wi-fi.

dependencia digital

A necessidade de sempre estar online pode prejudicar o sono e causar estresse. Foto: iStock, Getty Images

Isto tem feito com que as pessoas falem pouco entre si, pois elas estão ocupadas respondendo mensagens no celular, fazendo “check-in” revelando onde estão, publicando fotos, figuras e opiniões nas diversas redes sociais.

 

E se engana quem pensa que a dependência digital está atrelada apenas aos jovens e adultos. As crianças seguem o mesmo caminho, fixadas em jogos eletrônicos e vídeos dos seus personagens favoritos, visto que já nasceram em um mundo tecnológico ao seu alcance.

 

A dependência digital tem se disseminado rapidamente. De acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o número de celulares no Brasil ultrapassou o de habitantes em 2010.

As linhas ativas bateram em 273,5 milhões, com 30% da população tendo acesso a internet via telefone móvel, sendo que a venda de smartphones já superou a venda de aparelhos convencionais.

 

Hábito nocivo da dependência digital

 

Apesar de o ambiente digital ser um espaço para se exercitar a identidade, é preciso cuidar para que isto não se torne um hábito nocivo, principalmente para o aprendizado das crianças, onde pode haver prejuízos.

Uma criança em contato excessivo com a tecnologia pode ter prejudicada a consolidação da sua habilidade humana de percepção das emoções, e do uso e entendimento delas.

 

De acordo com a Associação Americana de Psicologia, a dependência digital é classificada como uma compulsão à impossibilidade de desgrudar do Facebook, Instagram, WhatsApp e dos games.

Estima-se que a a dependência da internet afete cerca de 10% dos internautas, causando sonolência diurna, dor de cabeça e maior incidência de depressão. Nos adolescentes, a lista ainda inclui baixo rendimento escolar, sedentarismo, obesidade e relações familiares prejudicadas.

 

Sinais de alerta da dependência digital

 

O uso em excesso de celulares para alimentar a dependência digital pode levar a transtornos do sono e aumento de estresse, tanto pela compulsão na verificação de e-mails, mensagens e alertas quanto pelos envios feitos. Por isto é importante observar os sinais de alerta.

Quando as pessoas passam a acreditar que não vivem sem contato com o mundo digital, – precisam estar conectados o tempo todo, pois, caso contrário, sentem-se como se o mundo estivesse acontecendo e eles ficando para trás- , essa é a dependência e um estágio perigoso.

 

Este é o momento de parar e repensar o uso e a importância que a tecnologia tem sobre sua vida. Para prevenir e não deixar a dependência pelo mundo digital tomar as rédeas de sua vida, respeite sempre a rotina de refeições e não reduza o tempo de exercícios físicos, leitura e cinema para ficar online.

Procure definir um tempo de permanência conectado, tanto para você quanto para seus filhos. No que se refere ao uso do celular, não deixe que ele roube os momentos com a família e os amigos.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]