Fitness

Endorfina: saiba mais sobre o hormônio da felicidade

Por Redação Doutíssima 15/03/2015

É comum ouvir que “a felicidade está dentro de você”. Se pensar na endorfina, fisiologicamente, ninguém está mentindo. Esse hormônio é produzido no seu cérebro e traz bem-estar e alegria para a sua vida. Descubra mais sobre ele e entenda a sua importância para o organismo.

 

O que a endorfina faz pelo seu corpo

Desmembrando a palavra, fica fácil saber por que a endorfina causa a sensação de que tudo está bem. “Endo” significa “interno” e “morfina” é sinônimo de “analgésico”. Ela termina com suas dores internas e, quando todos os órgãos parecem estar bem, sentimo-nos melhor.

 

A substância é conhecida como “hormônio da felicidade” porque traz benefícios para a saúde. Melhora o humor, o sistema imunológico, ajuda a remover os radicais livres (responsáveis pelo envelhecimento), aumenta a resistência, a disposição, a memória, a concentração e, é claro, alivia as dores do corpo.

endorfina

Hormônio da felicidade gera uma série de benefícios ao corpo e mente. Fotos: iStock, Getty Images

Como aumentar a endorfina no organismo

Diferentemente de outras substâncias, a endorfina não pode ser sintetizada, uma vez que é produzida na hipófise e, em seguida, liberada na corrente sanguínea. Ela vem acompanhada dos hormônios do crescimento (GH) e do adrenocorticotrófico (ACTH) que é um estimulante na produção de adrenalina e cortisol.

 

Assim como a felicidade, ela não é vendida na farmácia. Mas é possível aumentar, naturalmente, os índices de endorfina no corpo com atitudes e mudanças de hábitos bastante simples. Quer saber como? Veja a seguir a relação de atitudes que você pode adotar.

 

1. Sempre rir

 

Sorria sempre. Já é cientificamente provado que o riso é um poderoso liberador desse hormônio.

endorfina

E, se quer mais um motivo para sorrir mesmo estando triste, veja este: em 2006, a Escola de Medicina da Universidade Loma Linda, nos Estados Unidos, divulgou um estudo no qual constatou que rir estimula a atividade nas “células NK”. Elas, por sua vez, têm como função destruir vírus e até tumores no organismo.

 

Quer maneira mais bacana de se manter saudável?

 

2. Alimente-se de felicidade

 

O hormônio pode não estar à venda em vidrinhos, mas diversos alimentos que encontramos no supermercado podem estimular a produção de mais essa substância no organismo. Quer saber qual o principal deles? A pimenta! Se você não gosta dela, ao saber dos benefícios que traz, vai passar a amar.

endorfina

O vegetal ardente é termogênico. Ou seja, ajuda a acelerar o metabolismo e, em função disso, a emagrecer. Além disso, por conta dele, o cérebro produz o conhecido “hormônio da felicidade”. Emagreça de maneira feliz e saudável.

 

Chocolate, açúcar, alimentos ricos em gorduras e carnes também ajudam na produção do hormônio. Porém, é preciso ter cuidado na hora de consumi-los. Se for em excesso, eles podem trazer problemas como obesidade, colesterol e diabetes – trio que pode acabar com o seu barato de ser feliz comendo.

 

3. Mexa-se

 

Realizar atividades físicas é um dos maiores estímulos a esse hormônio. Depois de 30 minutos praticando qualquer exercício físico aeróbico (corrida, natação, ciclismo ou uma simples caminhada), a substância é liberada no organismo. Além de mais feliz, alivia as possíveis dores e desconfortos da prática da atividade.

endorfina

Sendo o hormônio do prazer, é claro que o sexo não poderia ficar de fora. Segundo uma pesquisa do professor de psicologia James Coan, da Universidade da Virgínia, nos Estados Unidos, fazer sexo libera a endorfina e ocitocina que, além de todos os benefícios que já vimos, evita a depressão.

 

Bom demais, não é  Que tal aproveitar todos esses benefícios agora mesmo?

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão Doutíssima!


Sites parceiros