[the_ad_group id="16403"]
Gravidez e Filhos

Tipos de parto: conheça mais sobre cada um e faça sua escolha

Por Redação Doutíssima 06/04/2015

As formas de trazer uma criança ao mundo têm se tornado um assunto cada vez mais controverso. Isso porque os tipos de parto têm levantado polêmicas e pré-julgamentos. Basicamente, eles se dividem em parto normal e cesárea. E você, futura mamãe, já sabe como quer ter seu bebê?

 

Uma das polêmicas é a resolução do Ministério da Saúde, no começo de 2015, que estabelece novas regras aos planos de saúde particulares, a fim de incentivar a realização de partos normais.

A Agência Nacional de Saúde (ANS) visa diminuir o número de partos cirúrgicos realizados no Brasil. Agora, as cesarianas somente poderão ser realizadas com indicação clínica do médico da gestante, sendo que, nos casos em que não houver justificativa para o procedimento, a operadora de plano de saúde não estará obrigada a custear a cirurgia.

 

tipos de parto

O parto normal pode se caracterizar por ter uma recuperação mais rápida da mulher. Foto: iStock, Getty Images

Escolha dos tipos de parto

Embora se reconheça que o objetivo da ANS é o incentivo à realização de partos normais, os profissionais da saúde e os defensores dos direitos das mulheres se mostram contrários a essas medidas. Isso porque afirmam que as mudanças ferem a autonomia da mulher, limitando seu poder de escolha no momento do parto.

Abaixo, a ginecologista e obstetra Regina Paula Zambotti explica o que difere os  tipos de parto e esclarece as dúvidas mais comuns nessa área. O importante, diz, é que a gestante esteja tranquila e ciente de sua situação e de suas condições clínicas.

 

Conheça os tipos de parto

1. Parto normal (ou vaginal)

De acordo com Regina, o que mais caracteriza, na escolha dos tipos de parto, é a força de vontade da gestante em ter seu bebê por via vaginal.

 

Quando chega a hora, a força para expulsar o bebê deve ser feita até que a cabeça já seja visível fora do corpo da mãe. Depois do nascimento, novas contrações ajudam o útero a expulsar a placenta do corpo da mãe.

 

Para a mãe, a recuperação é mais rápida e menos dolorosa. Além disso o aleitamento logo após o nascimento aumenta a imunidade do bebê e estreita os laços entre mãe e filho.

No parto normal humanizado, um dos tipos de parto bastante defendidos ultimamente, a mãe pode ter seu bebê em ambiente hospitalar ou domiciliar. “Porém, sem o rompimento da bolsa do líquido amniótico, sem a episiotomia  e sem anestesia, podendo tê-lo na posição que melhor lhe prover, geralmente de cócoras”, completa Regina.

2. Parto cesárea

É o parto realizado por via abdominal, com a mãe estando ou não em trabalho de parto, tendo ou não rompido a bolsa do líquido amniótico, caracterizado pelo corte transverso na região supra púbica das várias camadas do nosso organismo e extração do concepto e, logo a seguir, da placenta.

“Todos os tecidos são suturados com vários tipos de fios e nós que existem. Existem várias indicações para este procedimento, relevando o risco; benefício em realizá-lo e explicando o mesmo para os pais”, pondera a médica.

A cesariana, esclarece Regina, entre os tipos de parto é o que oferece um método de nascimento alternativo nos casos em que os riscos de um parto normal superam os benefícios. É também uma opção para mulheres que enfrentam uma gravidez complicada ou de risco.

 

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


[the_ad_group id="16349"]
[the_ad_group id="16404"]