[the_ad_group id="16401"]
Especialidades

Hebiatra é responsável por cuidar da saúde dos adolescentes

Por Redação Doutíssima 09/04/2015

Você já ouviu falar em hebiatra? Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), essa especialidade médica tem o objetivo de atender adolescentes. Entretanto, o período que a OMS se refere como adolescência pode te surpreender. A hebiatria tem como público alvo pessoas de 10 a 20 anos de idade.

 

A especialidade foi regulamentada no Brasil em 1998 pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), mas forma especialistas desde 1974 na Faculdade de Medicina da USP.

hebiatra

A hebiatria aborda as mudanças que as pessoas sofrem no período da adolescência. Foto: iStock, Getty Images

O que é hebiatria?

O nome foi dado a essa especialidade em referência à deusa grega Hebe, da juventude. O hebiatra está preparado para lidar com temas que vão além das patologias da infância ou da idade adulta. Puberdade, crescimento, maturação sexual e mudanças físicas típicas dessa etapa da vida fazem parte da especialidade.

Do ponto de vista biológico, a adolescência é o ciclo da vida marcado por muitas mudanças rápidas. Além das transformações físicas, o jovem também modifica sua forma de pensar. Com a curiosidade aguçada, ele pode, por conta dessas transformações, expor-se a riscos, especialmente com o grupo de amigos.

Principais funções do hebiatra

Em uma consulta com esse especialista, são tratadas questões sobre drogas e sexualidade, preocupações com o corpo, a alimentação, exercícios físicos, entre outros temas pertinentes à idade. É o hebiatra que acompanha, previne e trata doenças e atua em assuntos das esferas social e psicológica.

É esse profissional que trabalha na prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças e na promoção da saúde. O médico pode atuar de forma clínica e cirúrgica, em diversas especialidades e em medicina esportiva, legal, comunitária e do trabalho nos setores público e privado.

 

Como são as consultas com o hebiatra

As consultas com o hebiatra podem ser reservadas ou não. Embora os pais possam estar presentes, o adolescente tem direito ao sigilo, à confidencialidade e à privacidade.

Nas consultas, são avaliados o crescimento e as modificações físicas, psicológicas e sociais dos pacientes. Esse tripé vai permitir que o médico consiga identificar e tratar boa parte dos problemas sobre os quais, na maioria das vezes, os adolescentes não gostam de falar.

Questões de saúde relacionadas aos adolescentes

As principais queixas dos adolescentes são a preocupação com a estatura, peso e forma corporal; os temores de ser diferente dos amigos; a acne; as alterações menstruais (cólica menstrual); os problemas de coluna associados ao estirão de crescimento; e o crescimento transitório da glândula mamária no menino).

Além disso, o atraso puberal, caracterizado nas meninas pela ausência do broto mamário após os 13 anos, do aparecimento de pelos após os 14 e da primeira menstruação após os 16, é uma preocupação.

 

A adolescência é marcada por três perdas: a do corpo infantil, a da identidade e papel infantis, e a do tratamento dado pelos pais na infância.

Esses lutos ainda dividem espaço com oscilações de humor, vivência temporal singular, tendência de se reunir em grupos, sensações de invulnerabilidade, onipotência e imortalidade. É para auxiliar os adolescentes nessas elaborações que existe o hebiatra.

Para ter o título de especialista, o médico deve ser pediatra, com residência ou curso de especialização em adolescência e serviços reconhecidos pela SBP. Além disso, deve ser aprovado na prova de títulos realizada no Congresso Brasileiro de Adolescência.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]