[the_ad_group id="16401"]
Fertilidade

Varicela oferece riscos à gestante e ao bebê

Por Redação Doutíssima 24/04/2015

Você conhece os riscos da varicela? Causada por um vírus, ela é uma doença, normalmente ligeira, de curta duração, quando atinge crianças saudáveis. Mas o quadro pode se tornar muito grave, até mesmo fatal, quando a infecção atinge indivíduos adultos, principalmente se estiverem com o sistema imunológico enfraquecido.

 

O sinal de alerta é ainda maior para as gestantes, que estão expostas a muitos riscos, inclusive para o bebê. Também conhecida como catapora, a doença pode ter complicações diferentes, mas não menos graves, para o bebê de acordo com a época da gestação. Por isso, a imunização – por meio da vacina – é a melhor maneira de prevenir-se contra o problema.

varicela

Vacina é a mais importante medida de prevenção contra a varicela. Foto: Shutterstock

Consequências da varicela na gravidez

Se a grávida contrai a doença no primeiro trimestre, pode haver má formação do feto, o que vai atingir membros, órgãos e cérebro, podendo levar à morte. Depois do sexto mês, o bebê pode nascer com varicela inaparente e desenvolver herpes zoster na vida adulta ou na velhice.

Essa doença no bebê, que pode ser transmitida pela mãe infectada, é muito grave porque seu sistema imunológico ainda não é maduro o suficiente. A situação é bastante complicada quando a mãe apresenta os sintomas da doença cinco dias antes do nascimento ou dois dias depois do nascimento da criança.

Como ela não desenvolveu ainda os anticorpos contra o vírus, vai adoecer e passar o vírus em grande quantidade ao bebê que acabou de nascer.

10% das mulheres em idade fértil são propensas a contraírem a doença, que apresenta maior incidência durante a primavera. Seu poder de transmissão é alto e provoca lesões na pele e nas mucosas, dor, coceira intensa e febre.

Sintomas da varicela

No começo, a varicela tem sintomas parecidos com os de uma virose. A pessoa tem tosse, febre e coriza. As manchas vão se transformando em pápulas, que são bolinhas avermelhadas, e logo passam a pequenas bolhas com líquidos e depois casquinhas. A vacina é o meio mais eficaz de evitar a doença, e quem nunca teve estará 100% protegido.

Mas a vacina contra a doença não pode ser aplicada em gestantes, por isso, se a mulher pretende ter um bebê, deve receber a imunização até um mês antes de engravidar.

Se a futura mamãe contrair a varicela durante a gravidez, corre o risco de ter a forma grave da doença, que produz 500 mil lesões em todo o corpo, duas vezes mais que a forma leve.

Isso acontece porque seu sistema imunológico está completamente vulnerável. As complicações da doença na gravidez variam das lesões até problemas sérios no sistema nervoso e nas vias respiratórias.

Especialistas da Universidade de São Paulo (USP) afirmam que a pneumonia é a principal causa de internação por catapora em adolescentes e adultos.

Nos Estados Unidos, as mortes por pneumonia secundária são de 10 a 20% na população em geral e de 45% entre mulheres grávidas. A infecção no cérebro, cerebelite, é a doença neurológica mais comum e a encefalite, inflamação no cérebro, a mais grave que ocorre em consequência da varicela.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]