O banho de sol é importante em todas as idades – e para bebês e crianças não é diferente. Ele é fundamental para que o organismo consiga obter vitamina D, além de trazer outros benefícios à saúde.

O problema é que a exposição excessiva à luz solar expõe os pequenos a diversos riscos. Por isso, é importante entender os limites que não devem ser ultrapassados. Confira a seguir dicas para proteger o seu pequeno.

banho-de-sol
Protetor solar só deve ser utilizado em bebês a partir dos seis meses de idade. Foto: Shutterstock

Motivos para o banho de sol do seu filho

O principal benefício da exposição à luz solar é a obtenção de vitamina D. Essa vitamina é essencial para o bom funcionamento do organismo, sendo produzida na pele. É difícil obtê-la através dos alimentos e, por isso, sua fonte por excelência é a exposição à luz solar.

 

Além disso, o banho de sol para crianças e bebês é capaz de melhorar o bem-estar geral e fazê-los mais felizes. Isso ocorre porque a exposição ao sol acelera a produção da serotonina – o “hormônio da felicidade”.

 

Cuidados com o banho de sol

Assim como os adultos, quando bebês e crianças tomam banho de sol, uma série de cuidados devem ser tomados. Conforme estatísticas da Sociedade Brasileira de Dermatologia, as queimaduras solares que o indivíduo sofre na infância estão diretamente relacionadas com a possibilidade de câncer de pele na vida adulta.

 

Os cuidados com crianças e bebês dividem-se, basicamente, em duas faixas etárias. Até os seis meses, a exposição ao sol é desaconselhada porque o uso de protetor solar é proibido e o bebê possui pouca quantidade de melanina na pele – que é a sua proteção natural.

 

Depois dos seis meses de idade o uso do protetor solar é liberado, sendo possível que bebês crianças tomem banho de sol. Confira mais cuidados para a proteção do seu filho:

 

Horário

O sol das 10 às 16 horas é o mais perigoso para a pele. Por isso, não é o momento mais indicado para um banho de sol. Quanto aos outros horários, vale a pena considerar a “dica da sombra”.

 

“Se a sombra do seu corpo no chão for menor do que a sua altura, a criança não deve ficar exposta ao sol”, explica a dermatologista Daniela Schmidt Pimentel.

 

Roupas

Ao expor crianças e bebês ao sol, é importante dar atenção às roupas. Por exemplo, usar um boné ou um chapéu, evitando a exposição da cabeça, é uma excelente medida para diminuir os riscos.

 

Protetor solar

O protetor solar só pode ser usado a partir dos seis meses de idade. É importante escolher produtos que contenham, no mínimo, fator 30 e, necessariamente, proteção UVA. Além disso, é recomendável optar por produtos que contenham fórmulas específicas para crianças.

 

Conforme Daniela, produtos em creme e bastão são particularmente recomendáveis. Já para os maiores de dois anos, é preciso usar aqueles que possuem resistência à água, de fácil aplicação e que espalhem bem na pele.

“As loções cremosas e em aerossol são os mais bem aceitos, mas é preciso um cuidado extra na aplicação de aerossóis e evitar o contato com boca, nariz e olhos da criança”, indica a dermatologista.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!

 

O protetor solar deve ser aplicado de 15 a 30 minutos antes do banho de sol e reaplicado a cada duas horas de exposição. Vale, ainda, aplicá-lo em duas camadas para uma maior proteção.


DEIXE UMA RESPOSTA