Para muitas pessoas, o exame de diabetes é a forma mais eficaz – e simples – de detectar a doença que, muitas vezes, é assintomática em seu estágio inicial. Além disso, saber se você é diabético ou não é importante, já que se não tiver acompanhamento médico e tratamento, pode aumentar a chance de doenças vasculares.

Conforme dados da Sociedade Brasileira de Diabetes, 13 milhões de brasileiros sofrem com a condição e, desses, apenas 23% seguem tratamento para controlá-la.

exame de diabetes
A diabetes pode ser causada por fatores genéticos e por hábitos alimentares. Foto:iStock, Getty Images

Como é feito o exame de diabetes?

O exame de diabetes é um exame de sangue chamado de glicemia de jejum. Para fazê-lo, a pessoa devem manter uma alimentação normal no dia anterior ao exame, observando porém que deve permanecer em jejum por oito horas.

 

A partir daí, são feitos testes que medem a quantidade de glicose no sangue. Caso os resultados situem-se entre 100 e 125 mg/dl, o paciente é considerado em pré-diabetes. Se os valores, porém, forem iguais ou maiores que 126 mg/dl, o diagnóstico da diabetes é confirmado.

 

Muitas vezes são pedidos dois exames para confirmar a condição. Quando entre eles há divergência, a pessoa submete-se a outro teste, chamado de Teste Oral de Tolerância à Glicose (TOTG), conhecido também como curva glicêmica.

 

Para fazer o TOTG, a pessoa ingere aproximadamente 75g de glicose, diluída em água, e duas horas após se submete a um exame de sangue. A partir daí, analisa-se o resultado e, se ele for maior que 200mg/dl, esse exame de diabetes confirma o diagnóstico.

 

As gestantes também possuem um exame de diabetes específico, que deve ser feito entre a 24ª e a 28ª semana de gestação. Ele é bem similar ao TOGT, ou seja, a grávida ingere uma sobrecarga de glicose e depois são coletadas amostras e analisados os resultados.

 

Exame de diabetes: causas da doença

A diabetes é uma doença crônica, causada pelo fato de o corpo humano não produzir insulina ou não usar corretamente a insulina que produz. A insulina é um hormônio que controla a quantidade de açúcar no sangue e permite ao corpo usá-lo como fonte de energia.

Essa incapacidade do corpo produzir insulina ou usá-la corretamente pode ser desencadeada por uma série de fatores.

 

Na diabetes tipo um, por exemplo, é o próprio sistema imunológico quem destrói as células responsáveis pela produção de insulina no pâncreas – é considerada, por isso, uma doença autoimune. Na diabetes tipo dois, o uso incorreto da insulina é causado por uma série de fatores, como a resistência do organismo ao hormônio.

 

Além disso, fatores genéticos e ambientais, infecções virais, hábitos alimentares e obesidade também podem afetar a produção ou o uso de insulina pelo organismo.

 

sintomas do diabetes

Tratamento e prevenção

Depois de fazer o exame de diabetes e ser diagnosticado com a doença, você deve consultar um médico regularmente. Embora seja uma doença administrável, ela é grave e deve ser acompanhada por um especialista.

 

Segundo Abrão Cury, médico cardiologista e clínico geral do Hospital do Coração (SP), com algumas medidas básicas é possível diminuir a ocorrência da diabetes tipo dois – o mais comum da doença.

Ele sugere que as pessoas pratiquem exercícios físicos com regularidade, reduzam a quantidade de carboidratos que ingerem e regulem o horário das refeições.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


DEIXE UMA RESPOSTA