Gestante

Acompanhamento médico é essencial na gravidez depois dos 35

Por Redação Doutíssima 05/05/2015

O recente anúncio da gravidez da atriz Dira Paes, aos 45 anos, ressuscitou uma preocupação comum a muitas mulheres: a gravidez depois dos 35 anos. Isso porque a partir desta idade, especialistas indicam que a gestação pode ser mais complicada e, por isso, necessita de muito mais cuidado.

Gravidez depois dos 35 é cada vez mais comum

Muitas mulheres procuram adiar a gravidez devido a vários motivos, como carreira, fatores sociais ou estabilidade financeira. Dados da Fundação Seade (Sistema Estadual de Análise de Dados) mostram que o número de mães entre 35 e 39 anos aumentou 2,3% em dez anos em São Paulo. Porém, especialistas indicam que decidir pela gravidez depois dos 35 anos pode exigir cuidado redobrado, já que as chances caem 25%.

Segundo a ginecologista especialista em Reprodução Humana da Criogênesis, Paula Bortolai, toda mulher nasce com uma quantidade específica de óvulos, que varia entre seis a sete milhões.

gravidez depois dos 35

Acompanhamento médico é essencial para as mulheres que optam pela gravidez após os 35 anos. Foto: iStock, Getty Images

“Ao nascer, a menina já perde 80% dos óvulos e na puberdade restam de 300 a 500 mil. Em 30 anos de vida reprodutiva, estima-­se que apenas 500 óvulos serão selecionados para serem ovulados. E, depois dos 35 anos, tanto a quantidade, quanto a qualidade dos óvulos diminuem, restando chances menores de 10% para engravidar”, explica a médica.

Riscos associados a gravidez depois dos 35

Quem decide ter uma gravidez depois dos 35 precisa intensificar os cuidados com a saúde, para preparar o seu organismo para a gestação e evitar os riscos à saúde, maiores a partir desta idade. “Abortos e bebês prematuros, em decorrência de complicações como diabetes e hipertensão, são alguns dos riscos, assim como, a ocorrência de doenças genéticas, dentre elas, a Síndrome de Down”, esclarece Paula.

A ginecologista indica que o acompanhamento médico é essencial até antes mesmo da gravidez. Isso porque um especialista poderá avaliar, através de um check­-up, a saúde da mulher. Além disso, um pré-­natal adequado reduz os riscos associados a gravidez depois dos 35.

Fertilização in vitro: uma forma de adiar a gravidez

Cada vez mais as técnicas de fertilização in vitro estão sendo utilizadas por casais que querem esperar mais alguns anos para ter um filho, mas querem aproveitar a melhor idade fértil da mulher. É uma alternativa para a mulher que opta pela gravidez depois dos 35 anos.

A ginecologista indica que o ideal é que o congelamento seja feito até os 35 anos de idade, pois os resultados são melhores. “Se a mulher pensa em ter filhos somete após os 35 anos é essencial que converse com seu médico para avaliar a possibilidade de criopreservação”, alerta.

O congelamento de óvulos, por meio da vitrificação, é um método de preservação da fertilidade. Com ele, os óvulos maduros são congelados e as suas características, mesmo após o descongelamento, são resguardadas.

Quando a mulher e seu parceiro decidirem que chegou a hora da gestação, estes óvulos são descongelados e fertilizados com o espermatozoides. “Os embriões formados serão transferidos para o útero e o teste de gravidez é feito em aproximadamente 12 dias”, esclarece Paula Bortolai.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


Sites parceiros