Gestante

Como superar o medo de engravidar em 6 lições

Por Redação Doutíssima 18/05/2015

O medo de engravidar é mais comum do que se imagina. Muitas mulheres sequer conseguem pensar em gestação ou parto e, em grande parte dos casos, os motivos ultrapassam questões sociais e viram medos irracionais.

 

Algumas vezes ele é tão grave que chega a ser classificado como uma fobia, a tocofobia, muito semelhante ao medo de dentista ou altura. Trata-se de uma situação reversível, todavia.

medo de engravidar

Medo de engravidar pode ser resultado de alguma fobia e deve ser tratado. Foto: iStock, Getty Images

Medo de engravidar

A tocofobia foi identificada pela primeira vez em 2000, pela psiquiatra Kristina Hofberg, segundo a qual uma em cada seis mulheres sofrem com o problema. É a profundidade do medo que separa a tocofobia das ansiedades habituais de ser mãe.

 

Ela se manifesta de várias formas. Algumas mulheres acham que vão morrer, embora o medo mais comum seja o de um parto normal. Além disso, para muitas a ideia de um bebê crescendo dentro de si é profundamente inquietante, capaz de fazer que muitas delas até mesmo interrompam a gravidez.

 

Este medo é capaz de gerar algumas consequências. As gestantes com tocofobia, por exemplo, têm um risco aumentado de depressão pós-parto, de acordo com um estudo realizado com mais de 500 mil mães na Finlândia.

 

Como superar o medo de engravidar

Se você quer ser mãe, mas de uma forma ou outra sente aflição só de pensar na gestação ou no parto, é preciso investir para se livrar destes pensamentos. Veja algumas dicas que podem ajudar.

 

1. Tenha mais informação

Se você sente medo de engravidar, um dos elementos vitais para tratar esta condição é a educação sobre o nascimento – vale buscar médico obstetra, grupo de apoio ou parteira. Saber o que esperar e ter um plano já acordado com o seu prestador de cuidados auxilia a superar muitos medos irracionais.

 

2. Tenha um profissional de saúde de sua confiança

Uma relação de apoio e de confiança com os especialistas em saúde responsáveis pelo nascimento é essencial. Isso nem sempre é possível, pois alguns planos de saúde não permitem o contato repetido com o mesmo profissional, mas uma relação de confiança criará uma experiência positiva quanto ao nascimento.

 

3. Superar o medo de uma segunda gravidez

Quando os problemas ocorrem na primeira gravidez, uma reunião pós-parto é útil e ajuda a prevenir o desenvolvimento de sintomas da síndrome de estresse pós-traumático, que leva ao medo de engravidar. Entender o que deu errado e o motivo de as coisas aconteceram daquela forma auxilia a processar os eventos.

 

4. Procure gerir a ansiedade em torno do tema

Tal como acontece com outros transtornos de ansiedade, relaxamento, exercícios leves e respiração lenta são ferramentas para acalmar o corpo e aliviar a excitação que vem com o medo de engravidar. Um psicólogo pode ajudar com outras técnicas de gestão da ansiedade capazes de minimizar os temores.

5. Fale com seu parceiro sobre o assunto

Se você achar que o seu medo de engravidar está dificultando seu relacionamento, é hora de abrir uma discussão honesta. Muitas vezes esta fobia aumenta quando a mulher sente-se pressionada a ter um filho. Se o seu parceiro não entende seu medo, então explique isso a ele.

6. Procure ajuda profissional

O medo de engravidar, muitas vezes, é um distúrbio psicológico e, como tal, pode e deve ser tratado. Procure um psiquiatra e um obstetra para falar sobre seus medos: esse é um grande passo para resolver o problema. Estes profissionais de saúde física e mental certamente ajudarão você a ter uma gravidez feliz e tranquila.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


Sites parceiros