Doença sexualmente transmissível, o cancro mole é uma infecção provocada pela bactéria Haemophilus ducreyi – mais frequente em regiões tropicais como o Brasil. Por ser espalhada através do contato sexual, o uso indispensável da camisinha é a melhor forma de prevenção e cuidado com o bem-estar.

 

O que provoca o cancro mole?

A bactéria Haemophilus ducreyi ataca o tecido e produz uma ferida aberta perto dos órgãos reprodutivos externos de homens e mulheres. A úlcera pode sangrar ou produzir um fluido contagioso, capaz de espalhar bactérias durante o sexo oral, anal ou vaginal. A doença também propaga-se através do contato com a pele de uma pessoa infectada.

cancro mole
Uso de preservativo nas relações sexuais pode prevenir aparecimento de doenças. Foto: iStock, Getty Images

Os primeiros sintomas podem ser dor de cabeça, febre e fraqueza, que normalmente aparecem de dois a 15 dias após a infecção. A partir daí, uma ou mais úlceras (feridas) se desenvolvem nos genitais ou em torno do ânus.

 

As mulheres são menos propensas ao aparecimento de feridas, apresentando sintomas como dor ao urinar, ao defecar e ao manter relações sexuais, sangramento retal ou corrimento vaginal.

 

Essas úlceras têm bordas irregulares moles, que sangram facilmente. As úlceras podem ser muito dolorosas nos homens – nas mulheres, além de nem sempre aparecerem, elas não causam o mesmo desconforto.

 

É possível, ainda, a manifestação de vários sintomas adicionais, tanto para homens quanto para mulheres:

 

– Mudança no tamanho da úlcera

– O centro úlcera torna-se mais suave e fica cinza ou amarelo

– A úlcera sangra quando tocada

– Dor durante a relação sexual

 

Sem o tratamento adequado, as úlceras irão aumentar em tamanho e destruir progressivamente a pele. Com isso, outras bactérias podem infectar essas feridas, levando-as a se tornarem dolorosas e com cheiro desagradável.

 

A única maneira de diagnosticar o cancro mole é através de testes e exames, feitos por um médico. Ele irá recolher amostras de fluido a partir de uma ferida, que será examinada em laboratório. Vários outros testes podem ser necessários para confirmar o diagnóstico.

 

Recomenda-se também fazer testes adicionais que tornam mais fácil determinar outras infecções sexualmente transmissíveis possíveis, como sífilis ou herpes genital.

 

Como é o tratamento do cancro mole

Segundo informações da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), o cancro mole pode ser tratado com sucesso com medicamentos. Antibióticos são capazes de acabar com as bactérias que estão causando as úlceras, e ajudam a diminuir as chances de cicatrizes.

 

É possível que o médico, todavia, opte por drenar um abscesso grande e doloroso nos linfonodos, com uma agulha ou através de cirurgia. Isso reduz o inchaço e a dor, bem como cura a ferida, mas pode causar algumas cicatrizes no local.

 

Condições relacionadas ao cancro mole não tratadas podem causar cicatrizes permanentes nos órgãos genitais de homens, e levar a complicações graves (infecções) em mulheres.

 

É possível prevenir?

Homens e mulheres conseguem prevenir essa doença usando preservativos durante o contato sexual. Outras medidas preventivas incluem limitar a quantidade de parceiros sexuais, evitar atividades de alto risco que levam à obtenção de cancro mole ou outras infecções sexualmente transmissíveis (DSTs).

Além disso, é necessário avisar a todos os parceiros se você desenvolver a condição, e buscar ajuda médica sempre que sentir que algo está fora do normal.

 

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


DEIXE UMA RESPOSTA