Qualidade de vida

Saiba como escolher um cuidador de idosos adequado

Por Redação Doutíssima 19/05/2015

Cuidador de idosos. Se você nunca pensou na importância desse profissional, comece a se acostumar. Dados do IBGE apontam que o envelhecimento da população brasileira está acima da média mundial: em 10 anos, o número de pessoas com mais de 60 anos passou de 15 para 23 milhões no país. E a expectativa é de que esse crescimento triplique até 2040.

 

Em um primeiro momento, essa maior longevidade representa uma boa notícia. Afinal, estamos vivendo mais. O problema é que, não necessariamente, esse tempo maior vem acompanhado da tão desejada qualidade de vida.

cuidador-de-idoso

Cuidador deve ter perfil técnico e demonstrar afeto por pessoas da terceira idade. Foto: iStock, Getty Images

Assim como a expectativa de vida, doenças degenerativas, como o Alzheimer e doenças crônicas, associadas ao estilo de vida, também avançam de forma significativa. Isso quer dizer que o brasileiro está ficando mais velho e mais dependente.

 

É por conta destes números que profissões ligadas à terceira idade têm conquistado um novo nicho de mercado. É o caso da função de cuidador de idosos, cuja regulamentação tramita na Câmara dos Deputados (projeto de lei 4702/2012), estabelecendo os mesmos diretos do trabalhador doméstico.

 

O que faz um cuidador de idosos

As funções do cuidador de idosos incluem, em geral, auxílio na higiene, estimulação e ajuda na alimentação e na locomoção, mudar a posição do idoso na cama, administrar medicações, comunicar aos médicos sobre as mudanças no estado de saúde e, sobretudo, ser o elo entre o idoso e a família.

 

Quando a família começa a sofrer com o excesso de responsabilidade para cuidar de um ou mais de seus membros, quando há falta de descanso, quando o estresse começa a tomar conta da família, esse é o momento de pensar no cuidador de idosos.

 

Ele vai ficar o tempo todo com o idoso e assumir responsabilidades importantes, que incluem não só o cuidado físico, mas também o cuidado psicológico, o carinho e a atenção. Por conta disso, não pode ser um profissional qualquer – até porque vai ficar longos períodos sozinho com o idoso.

 

Como escolher o cuidador de idosos

Especialistas recomendam sempre que o cuidador de idosos seja contratado por meio de empresas especializadas em RH. Entretanto, se você decidir contratar por conta própria, é importante observar alguns detalhes importantes.

 

Primeiramente, tenha referências e verifique trabalhos anteriores do candidato. Analise o equilíbrio emocional do candidato para assegurar que ele vai tratar o idoso com carinho e dedicação.

Também é recomendável a contratação de pessoas que tenham feito pelo menos um curso voltado ao atendimento da terceira idade. Estes cursos têm sido cada vez mais frequentes e abordam aspectos do envelhecimento. São ministrados por enfermeiros, psicólogos, fisioterapeutas, nutricionistas, entre outros especialistas da área da saúde.

 

Se o idoso precisar de medicamentos que incluem procedimentos minimamente invasivos, como curativos ou injeções, o ideal é que o cuidador seja, pelo menos, um técnico em enfermagem.

 

Atenção aos maus tratos

É importante ter em mente também que o idoso está exposto a maus tratos, tanto físico quanto psicológico. Não atender às necessidades, deixar de dar alimento na hora certa, dar mais remédio para que ele durma ou falar de forma ofensiva também são atos de violência, que podem ser cometidos tanto pelo cuidador de idosos como por outras pessoas próximas.

 

Por isso, ao perceber que seu familiar anda calado, triste ou agressivo, converse para apurar as causas e, se for o caso, instale câmeras de vídeo nos locais onde ele fica. Isso irá dar mais segurança a você e ao seu familiar.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


Sites parceiros