Dica do Nutricionista

Óleo de mamona traz benefícios para a saúde e a beleza

Por Redação Doutíssima 23/08/2015

Produtos que atendam ao máximo de necessidades quando se trata de cuidar da beleza e do bem-estar acabam despertando curiosidade e interesse. O óleo de mamona é uma dessas maravilhas, repleto de benefícios para o corpo humano. Sua versatilidade atua no combate a doenças e complicações, além de ajudar na estética, dando uma força para a beleza.

 

O que é o óleo de mamona

Também chamado de óleo de rícino – 90% de seus constituintes são obtidos a partir de ácido ricinoleico -, o óleo de mamona é conhecido por sua infinita possibilidade de aplicações. Ele tem propriedades anti-inflamatórias, que ainda estão sob estudos.

oleo de mamona

Óleo de rícino pode ser usado para tratamento de dores e para hidratação capilar. Foto: iStock, Getty Images

“Ele vem sendo usado para reduzir a inflamação e inchaço das articulações e tecidos. É também usado para proporcionar alívio de dores nas costas, dor abdominal e ainda é calmante para  cólicas menstruais”, explica a nutricionista Jureci Siqueira Machado.

Esse óleo é ainda utilizado pela indústria cosmética na elaboração de produtos relacionados a cabelo, pele e medicamentos para articulações e intestino.

O óleo de mamona é uma substância obtida a partir de sementes de mamona espremidas, encontrada na África e na Índia. “Mas seu uso acabou chegando a praticamente todos os continentes, a partir do conhecimento de suas propriedades medicinais”, comenta Jureci.

Quanto à forma de consumo, a nutricionista afirma que para tratamento de dores, o ideal é usar duas colheres de sopa para um copo de água de 200 ml.

“No entanto, não há uma recomendação específica, pois os estudos seguem, ainda precisam ser ampliados para uma conclusão. Pode ser também utilizado como cosmético ou como forma laxativa”, acrescenta.

Restrições ao uso do óleo de mamona

Justamente por ainda ser alvo de estudos, o óleo de rícino deve ser consumido com cuidado. O uso excessivo pode ter algumas complicações. “Como ele tem propriedades laxantes, poderá evoluir para eventos diarreicos, podendo se agravar dependendo do quadro de saúde e das condições individuais”, aponta a nutricionista.

Assim, há algumas restrições para seu uso. De acordo com Jureci, o óleo de mamona não deve ser usado por pessoas que tenham intestino irritável ou intestino muito solto. Essas situações merecem atenção bem específica, por isso o mais adequado é buscar ajuda e orientação de profissionais da saúde.

“Geralmente, o óleo de mamona ou rícino não é usado na culinária porque suas propriedades correm grande risco de serem alteradas com o aumento da temperatura. Por isso, sua aplicação se limita às finalidades terapêuticas e cosméticas”, finaliza a nutricionista.

Esse óleo pode ser usado, entre inúmeros outros benefícios, na área estética, para hidratar os cabelos. Ele deve ser aplicado nos fios 15 minutos antes da lavagem normal. Há ainda quem prefira usá-lo em substituição ao condicionador. Mas isso só é indicado para quem não tem os fios muito finos, pois o cabelo pode ficar pesado.

No entanto, mesmo para quem tem os fios finos, o óleo de rícino pode ser bem útil. Ele pode ser adicionado às máscaras que você usa normalmente para tratar os cabelos. Com o uso de uma a duas vezes por semana, os resultados devem aparecer em alguns meses.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!


Sites parceiros