Talvez você não imagine uma vida sem sexo. Para algumas pessoas isso não é uma opção. Um assexuado é alguém que não sente atração sexual. Ao contrário do celibato, que é uma alternativa de vida, a assexualidade é uma orientação sexual – como homossexualidade, bissexualidade e heterossexualidade.

Esse é um assunto ainda pouco discutido e está apenas começando a ser objeto de investigação científica.

assexuado
Pessoas assexuadas podem manter relacionamentos sem intenção da prática sexual. Foto: iStock, Getty Images

 

O que é um ser assexuado

Quando as pessoas pensam em orientação sexual, é provável que algumas identidades venham à mente: homossexuais, heterossexuais, bissexuais ou transgêneros. A orientação que muitas vezes é deixada de fora da conversa é a ausência de atração sexual, também conhecida como a assexualidade.

 

No entanto, um assexuado também pode apresentar um pouco de desejo sexual ou interesse sexual de qualquer natureza, incluindo a masturbação. Em outras palavras, o fato de uma pessoa ser assexuada não significa movimentação sexual alguma, apenas que ela não se sente ligada às outras.

 

Como qualquer outra pessoa, alguns pessoas assexuadas apresentam desejo de relacionamentos. Elas muitas vezes encontram alguém visualmente atraente (atração estética), ou então ficam interessadas romanticamente (atração romântica). A diferença é que esses sentimentos não possuem dimensão sexual.

 

Pouquíssimas pessoas consideram-se assexuadas no verdadeiro sentido do termo – que significa jamais experimentar atração sexual ou desejos sexualmente íntimos. Vale dizer que o fato de em algum momento de suas vidas elas terem sido sexuadas, ou passado por alguns impulsos sexuais não modifica essa orientação.

 

Estudos procuram definir um assexuado

Muitas pessoas se perguntam se um assexuado é reflexo de algum tipo de abuso ou trauma. Estudos descartam essa possibilidade, indicando que a assexualidade é algo comum e capaz de ter raízes biológicas.

Em 2004, pesquisadores da Universidade Brock, em Ontário, Canadá, observaram que apenas 1% dos adultos jamais sentiram atração sexual – em uma amostragem de 18 mil indivíduos.

 

Além disso, conforme um estudo publicado na revista Archives of Sexual Behavior, é possível acreditar em ligação entre assexualidade e certas características biológicas. Os cientistas observaram, por exemplo, que os assexuais têm certa de 2,5 menos chances de serem destros se comparados aos heterossexuais.

A equipe também descobriu que quando comparados aos heterossexuais, os homens assexuais são mais propensos a ter irmãos mais velhos e as mulheres assexuadas são mais tendentes a ter irmãos mais novos.

 

As evidências científicas sugerem que se trata de uma orientação sexual distinta. Não há problemas em distingui-las a partir da falta de desejo sexual – até mesmo porque essa ausência de vontade não significa algum problema fisiológico.

Uma pesquisa da Universidade de British Columbia, por exemplo, descobriu que na realidade, as pessoas assexuadas são fisicamente tão capazes de ereções ou lubrificação vaginal quanto qualquer outra.

 

Assexualidade não é uma escolha

As orientações sexuais, como heterossexualidade e homossexualidade não podem ser modificadas conforme a vontade. Ocorre o mesmo com a assexualidade. É preciso respeitá-la – dizer a um assexual que isso acontece porque ele ainda não encontrou a pessoa certa, muitas vezes, soa ofensivo, por exemplo.

 

Além disso, estar ao lado de uma pessoa e não sentir atração sexual por ela é algo que acontece com todos – inclusive com aqueles que possuem outras orientações. Por isso, é importante se conscientizar que essa é uma orientação sexual como qualquer outra.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 

 

É fã do Doutíssima? Acompanhe o nosso conteúdo pelo Instagram!


DEIXE UMA RESPOSTA