A chegada de uma criança em casa é esperada com ansiedade por parte dos pais. Apesar de que uma dúvida inquieta muitos papais de primeira viagem: como é o contato de bebês e animais de estimação?

Bebês e animais de estimação: primeiro contato

Antes da chegada do bebê, o animal deve estar preparado para essa novidade que ocupará grande parte do tempo de seus donos e vai dividir a casa que antes era só dele.

bebês e animais de estimação istock getty images doutíssima
Relação entre bebê e animal de estimação precisa ser trabalhada por toda a família. Foto: iStock, Getty Images

O animal deve participar de todo o processo de espera pela criança. Até porque, ele irá perceber as mudanças em sua tutora, a barriga crescendo e a ansiedade. Isso pode gerar uma alteração de comportamento por parte do bicho de estimação, além de curiosidade.

A educadora animal e comportamentalista Luciene Vieira recomenda que seja colocada uma peça de roupa do bebê, com talco, na cama do cachorro para que ele sinta o cheiro da criança já no início. Assim, fica mais fácil para ele se acostumar com a ideia de dividir a atenção e sentir que não está em segundo plano.

Continue com a rotina normal do animal. Mantenha passeios regulares e uma frequência de banho e tosa. Quando o cachorro se sentir amado e cuidado, tudo ficará mais fácil.

Como evitar ciúmes 

O ciúmes pode surgir nos primeiros dias do convívio entre os bebês e animais de estimação. Manter o animal vacinado e sempre limpo possibilita que o bebê e o animal a permaneçam em contato. Assim, eles podem entrar no quarto da criança quando quiserem e estar sempre por perto.

Com o nascimento da criança, Luciene explica que não se deve dar atenção ao animal apenas quando o bebê estiver dormindo ou não estiver por perto. Assim, o animal vai associar o carinho à ausência da criança. Isso pode causar estranhamento e ele pode se sentir ameaçado.

Um treinamento adequado para cachorros, caso seja esse o seu animal de estimação, é recomendado. A aproximação dos bebês e animais de estimação deve ser sempre supervisionada, para que seja realizada de maneira tranquila e também natural.

Tome cuidado para não agir com violência quando o animal se aproximar da criança. O bichinho está ansioso e esse primeiro contato é, principalmente, por curiosidade. 

 

Luciane ainda afirma que a interação entre bebê e animal de estimação evita que o pet se sinta ressentido e, assim, ele se sentirá incluso nos cuidados com a criança.

 

Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 


DEIXE UMA RESPOSTA