A medicina do futuro está cada vez mais presente – e próxima – no dia a dia das pessoas. Pesquisadores trabalham em diferentes frentes para trazer inovações em tratamentos e medicamentos capazes de curar doenças, melhorar a qualidade de vida e prolongar a saúde de pacientes em todo o mundo.

Medicina do futuro no combate ao câncer

A medicina do futuro traz resultados animadores no tratamento ao câncer, doença que deve registrar 580 mil novos casos neste ano somente no Brasil, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca).

medicina do futuro istock getty images médicos doutíssima
Medicina do futuro traz resultados animadores no tratamento ao câncer, por exemplo. Foto: iStock, Getty Images

“Já conseguimos melhorar a qualidade de vida dos pacientes e, de três anos para cá, os estudos estão concentrados em novas drogas”, afirma o coordenador do departamento de oncologia do Hospital Albert Einstein, Sérgio Daniel Simon.

Conheça algumas das mais promissoras terapias da medicina do futuro no combate ao câncer.

Alvos moleculares

Recomendada em larga escala na Europa e nos EUA, a terapia de alvos moleculares usa drogas dirigidas para uma molécula anormal da célula de câncer, não permitindo que ela funcione. “Pode ser um anticorpo que gruda na molécula e a impede de funcionar ou até uma molécula que destrói a anormal e impede o crescimento do tumor”, diz o oncologista do Albert Einstein.

Os tumores de mama, pulmão, intestino e rim são os que o tratamento é mais utilizado. No Brasil, a técnica ainda aguarda a aprovação da maioria dos medicamentos alvo-dirigidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Antiangiogênese

Os princípios desse tratamento são os mesmos da terapia de alvos moleculares. A diferença é que na antiangiogênese o medicamento pode levar a célula tumoral à morte, porque bloqueia a produção dos vasos sanguíneos. Ou seja, as células cancerígenas são destruídas por falta de nutrientes.

Os resultados são promissores, mas os medicamentos são caros e ainda não foram aprovados no Brasil. As principais aplicações do tratamento são nos tumores de intestino, rim e do sistema nervoso.

Imunoterapia

Essa terapia é ainda uma promessa, e consiste em estimular as células de defesa do organismo para atacarem as cancerígenas. Tal reação pode ser provocada de várias maneiras, sendo uma delas a vacina. “É um tratamento ainda experimental, em fase de testes, mas que já mostrou resultados positivos em alguns tipos de tumor como o de rim e o de pele”, afirma Simon.

Medicina do futuro no Brasil

No Brasil, existem importantes centros de pesquisa e formação na área de saúde, que contribuem com os estudos para a medicina do futuro. Um dos exemplos é o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, que possui 62 laboratórios atuando na pesquisa em todos os ramos das ciências da saúde. Seu centro cardiológico é considerado um dos três maiores do mundo em volume de atendimento.

Há também a Fundação Oswaldo Cruz, cujos laboratórios são considerados centros de referência, capazes de dar respostas imediatas a problemas emergenciais, como epidemias ou novas doenças. Nas áreas de pesquisa e ensino, seus projetos produzem conhecimentos para o controle de doenças como Aids, malária, Chagas, tuberculose, hanseníase, sarampo, rubéola, esquistossomose, meningites e hepatites.

O número de médicos, cuja data se celebra no dia 18 de outubro, passa dos 430 mil no País, uma média de dois profissionais a cada mil habitantes.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar! 


DEIXE UMA RESPOSTA