[the_ad_group id="16401"]
Dia a Dia > Motivação

Tempo é dinheiro: como fazer o relógio trabalhar a seu favor

Por Redação Doutíssima 22/10/2015

A máxima do capitalismo nos diz que tempo é dinheiro. Para usufruir daquilo que o dinheiro traz é preciso tempo e para conquistar tempo é preciso ter dinheiro. Parece confuso, mas tudo se resume em você otimizar e organizar sua rotina para lucrar e economizar.

tempo-e-dinheiro-doutissima-istock-getty-images

Falta de planejamento é apontado como o maior inimigo da organização do tempo. Foto: iStock, Getty Images

 

Tempo é dinheiro para quem planeja

Às vezes parece que os minutos passam mais rápido, mas lembre-se que todos nós temos as mesmas 24 horas do dia para realizar nossas tarefas, sejam profissionais, pessoais, de estudo, lazer e descanso.

 

Para Patrícia Simões, especialista em gestão, organização e logística, a falta de planejamento é o maior inimigo da organização do tempo. Segundo a profissional, quando não há planos e disciplina para realizar tarefas, você acaba por inverter ordens de prioridades, distrair-se com fatos desnecessários e, assim, deixa de lado o que realmente importa.

 

Em parceria com Juliana Palombo, psicopedagoga com especializações em psicologia organizacional e consultoria em recursos humanos, as profissionais dão quatro dicas para que você entenda como procede a máxima de que tempo é dinheiro.

 

1. Analise sua rotina

 

Ainda sem mudar hábitos, comece a perceber seus horários, o que gosta e o que menos gosta de fazer. Observe o que você adia, como e por quais motivos isso acontece. Conte quantas vezes pega o celular na mão, por exemplo.

 

Ao fim do dia, analise seu comportamento e tente apontar quais atitudes você pode mudar para ganhar tempo.

 

3. Otimize o cotidiano

 

Otimizar significar tornar algo ótimo. E para que isso seja possível dentro de sua rotina, o planejamento é o principal aliado. Tente criar um cotiano sem complicações, com metas ao fim do dia. Listar as atividades importantes da semana em sua agenda pode ajudar.

 

Assuma também o hábito de consultar esse registro antes de assumir novos compromissos. Tente sempre sair com antecedência para evitar atrasos. Não pense que manter uma certa rotina é viver no monótono. Tente imaginar que criar organização pode resultar em um tempo livre que antes você não tinha.

 

4. Pense nos benefícios

 

Parte do planejamento consiste em você traçar objetivos. Quando você tem uma meta específica, as chances de aumentar o foco e a disciplina para alcançá-la são maiores. Sua motivação certamente potencializará seus resultados, indicam as profissionais.

 

5. Diferencie o urgente do importante

 

Além da falta de organização, saiba que aquilo que é importante e não foi executado dentro do seu prazo, acaba por se tornar urgente. Para evitar que isso aconteça, as consultoras aconselham você a classificar suas tarefas e compromissos como facultativo, interessante e importante.

 

Comece pelos itens importantes até chegar aos facultativos. Dessa forma, as chances de algo se tornar urgente e estressante se tornam menores.

 

O que evitar 

O ex-presidente do Uruguai José “Pepe” Mujica, conhecido pela vida simples que leva, em uma entrevista disse: “As pessoas não compram com dinheiro, compram com o tempo que tiveram que gastar para ter esse dinheiro. Não se pode desperdiçar esse tempo, é preciso guardar algum tempo para a vida”.

 

A partir disso, é possível perceber que a organização não somente faz o tempo se transformar em dinheiro, mas também torna praticável o lazer, o descanso e o tempo fora do âmbito profissional. Evite criar acumulações para os últimos minutos de qualquer tarefa.

 

Gostou do artigo? Qual é a sua opinião sobre ele? Venha compartilhar suas experiências e tirar suas dúvidas no Fórum de Discussão DoutíssimaClique aqui para se cadastrar!

 


[the_ad id="14710899"]
[the_ad id="14710899"]
[the_ad_group id="16404"]